Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Segunda Feira 27 de Junho de 2022

Menu

Geral

Lideranças lamentam morte do desembargador Munir Feguri

Munir Feguri se tornou desembargador pelo quinto constitucional, em vaga da OAB, e se aposentou em 2008, após completar 70 anos

Luto do judiciário | 01 de Janeiro de 2022 as 12h 59min
Fonte: Redação/Maria Barbant

Foto: Reprodução

Lideranças lamentam o falecimento na noite desta sexta-feira (31), aos 83 anos, do desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Munir Feguri. O desembargador estava internado no Hospital São Mateus, em Cuiabá, onde se tratava de atrofia multissistêmica, uma doença degenerativa, autoimune. O magistrado deixa três filhos, a juíza Lamisse Feguri, o servidor do Tribunal de Justiça de Mato Grosso Neif Feguri e o médico Gibran Feguri.

Aposentado aos 70 anos, em 2008, Munir Feguri se tornou desembargador pelo quinto constitucional, em vaga da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MT).

Cuiabano, se tornou bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito de Cuiabá, em 1966. Foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso na gestão 1983/1985 e integrou o Conselho Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil por 20 anos consecutivos.

Durante os anos de 1985 e 1989, Munir Feguri representou a OAB-MT junto ao Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, sendo reeleito para o biênio 1991/1993. Dentre seus projetos de luta constam a criação do Tribunal Regional do Trabalho da 23ª Região, com sede em Cuiabá, e oito Juntas de Conciliação e Julgamento em Mato Grosso.  Foi presidente do Instituto dos Advogados de Mato Grosso, no biênio 1991/1993.

Ingressou no Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso em agosto de 1992. Em 1995, foi eleito presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, quando implantou o sistema eleitoral informatizado. Durante o biênio 1999/2001, foi eleito vice-presidente do TJMT. Com o falecimento do então presidente Wandy Clait Duarte, assumiu a Presidência do órgão até março de 2001. Assumiu a Corregedoria-Geral da Justiça no biênio 2005/2007.

“À família e amigos enlutados presto minhas condolências pelo falecimento desse grande e respeitado jurista. Munir Feguri fez história no Judiciário de Mato Grosso”, lamentou o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro.

"Sentimos muito pela perda. Munir Feguri foi um grande jurista respeitado e que fez história no Tribunal de Justiça. Que Deus conforte a família e amigos", lamentaram o governador Mauro Mendes e a primeira-dama Virginia Mendes.

O magistrado está sendo velado neste sábado (1º de janeiro), na Capela Jardins, sala das Roseiras, até às 14 horas. O corpo do magistrado será cremado no crematório Parque Bom Jesus.