Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Terça Feira 28 de Setembro de 2021

Geral

Lealdade torna chow chow agressivo

De origem asiática, os cães da raça chow chow são fofos e amorosos, porém podem se tornar muito agressivos quando se sentem ameaçados

Ataque | 05 de Agosto de 2021 as 09h 05min
Fonte: Gazeta Digital

De origem asiática, os cães da raça chow chow são fofos e amorosos, porém podem se tornar muito agressivos quando se sentem ameaçados ou percebem risco aos donos. Eles também são um tanto ciumentos e a lealdade aos tutores pode levar a comportamentos violentos.

O médico veterinário Leandro Soares explica que a raça tem por caraterística a grande devoção aos cuidadores. O distanciamento ou ameaça a essa pessoa pode levá-los a ter comportamento agressivo, que é da sua essência.

“Essa raça é agressiva, mas tem um motivo. Ela é muito leal aos donos. Então qualquer coisa que ameace o tutor ou esteja interferindo na relação entre ele e o tutor pode desencadear essa agressividade. Ainda mais se eles estão sozinhos ou a casa sozinha. São muito protetores do ambiente em que o dono está. Podem ser agressivos se sentirem que estão sendo afastados do dono ou não está recebendo atenção”, esclarece o profissional.

Gleice Alves do Nascimento pode falar com propriedade da relação entre os animais da raça. Ela tem hoje três em casa, mas já teve um antes que morreu por conta de doença.

A mulher tinha o Lelo, que morreu e a deixou arrasada. Para tentar suprir a perda, no aniversário ela ganhou dois machos: o Téo e o Chico, que são irmãos e têm 1 ano e 2 meses. Apesar de jovens, eles são enormes. Depois, Gleci adquiriu a Pérola, de um ano.

“Eles são muito amorosos e carinhosos, mas brigam entre si. Principalmente o Téo e o Chico. Agora preciso colocar ração para eles em locais separados. Um dentro de casa e outro fora, senão eles brigam por causa da fêmea”, conta.

Gleice conta que houve apenas um acidente em que Téo mordeu seu filho. Os machos estavam brigando e o jovem pegou um deles no colo para separar a briga, Téo tentou morder Chico, que estava no colo, e acabou abocanhando o filho da dona.

“Eles brigam feio. Ficam de pé enormes. Dizem que eles são agressivos, mas acho que isso depende da criação. A mãe da Pérola mordia qualquer um que tentasse fazer carinho nela”, explica.

Por conta da pelagem espessa, os animais precisam de tratamento especial para amenizar o sofrimento no calor cuiabano. A água nos potinhos tem que ser com gelo, os banhos são frequentes e eles nadam na piscina de vez em quanto. A ração e produtos de banho são de boa qualidade para evitar que percam pelo e adoeçam.

“É muito cuidado e despesa. Penso que não adianta pegar o animal se você não vai cuidar bem”, argumenta.

Ataque

Na terça-feira (3) um animal da raça chow chow atacou e matou um bebê de um ano. A mãe relatou que tinha trocado a fralda da criança e o deixou na área para ir jogar a peça no lixo. Quando voltou, viu que o bicho estava atacando a criança.

Ela tem mais outros 5 cães e eles se reuniram sobre o cachorro que atacava o bebê a fim de que largasse a criança. O menino foi levado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos.