Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Quarta Feira 17 de Abril de 2024

Menu

Justiça

Justiça condena a 16 anos de prisão pecuarista que matou engenheiro agrônomo de Sinop

Ele ficará em liberdade até que seja julgado recurso de apelação

Geral | 07 de Fevereiro de 2024 as 16h 54min
Fonte: Acesse Notícias

Foto: Divulgação

Em Júri realizado nesta terça-feira, dia 06 de fevereiro de 2024, a justiça condenou Paulo Faruk de Moraes a 16 anos de prisão, mas ele ganhou o direito de responder em liberdade e poderá recorrer da sentença.

Em um júri composto por 07 (sete) mulheres, o produtor rural foi julgado pelo crime de assassinato de um engenheiro agrônomo, crime que ocorreu em 18 de fevereiro de 2019, em uma lanchonete no distrito de Novo Paraná, a 25 km da sede do município, motivado por desentendimento proveniente de vendas de insumos agrícolas.

Paulo Faruk de Moraes que agora tem 66 anos já teria ficado preso por um ano após ter confessado o crime e dito que não teria intenção de matar, mas sim assustar a vítima, porém, diante da comprovação da materialidade do crime o qual foi representado pelo Ministério Público daquela Comarca, restou ele condenado por crime de homicídio com a qualificadora sem chance de defesa da vítima.

 

O crime

O engenheiro agrônomo, Silas Henrique Palmieri Maia, que na ocasião do crime tinha 33 anos de idade teria feito um negócio (acordo) entre e Paulo Faruk de Moraes, e temendo não ser ressarcido, ele permaneceu na região para aguardar a colheita, e causou incomodo para o produtor rural, Paulo Faruk, que acabou por cometer o crime.