Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sábado 20 de Julho de 2024

Menu

Economia

Inadimplência em Mato Grosso registra maior queda mensal do ano

Na passagem de abril para maio, o indicador retraiu 3,2% e se manteve no mesmo nível no comparativo com o mesmo período do ano anterior

Geral | 26 de Junho de 2024 as 16h 00min
Fonte: O documento

Foto: Divulgação

O número de consumidores com dívidas atrasadas em Mato Grosso teve a maior queda mensal de 2024. De acordo com levantamento no Núcleo de Inteligência de Mercado da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Cuiabá) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), a inadimplência caiu 3,2% em maio no comparativo com o mês anterior.

Em relação ao mesmo período de 2023, o indicador praticamente se manteve em patamar de estabilidade (-0,02%).

O levantamento aponta que 4 em cada 10 consumidores têm dívidas de até R$ 1 mil e pouco mais de 38% estão inadimplentes entre um e três anos. Cada devedor tem, em média, duas contas atrasadas. Já o valor médio dos passivos é de R$ 5.076,06.

Cerca de metade (49%) dos débitos da população com as finanças no vermelho são com bancos e demais instituições financeiras. Em segundo lugar aparecem as dívidas com o comércio (26,8%) e água e luz (10,9%).

Quanto à faixa etária, a maior parte dos endividados (26,7%) tem entre 30 e 39 anos, seguido pelo grupo entre 40 e 49 anos (21,7%). Em relação ao gênero, 53,82% são homens, enquanto 46,18% são mulheres. Ao todo, mais de 1,1 milhão de pessoas estão em situação de inadimplência em Mato Grosso.

Na visão do superintendente da CDL Cuiabá, Fábio Granja, apesar do contingente elevado de devedores em atraso, a queda do indicador mostra relativa estabilidade no cenário estadual. Ele também avalia que a informalidade é um dos principais desafios no combate à inadimplência. “Muitas pessoas estão fora do mercado de trabalho formal, o que resulta em rendas instáveis e dificuldades para honrar compromissos financeiros regulares”.

O gestor destaca que uma parte das empresas tem disponibilizado negociações vantajosas para facilitar a regularização de dívidas dos consumidores. No caso dos aposentados, o adiantamento do 13º salário tanto em abril quanto maio, possibilitou o pagamento de pendências. “Fomentar o empreendedorismo e criar oportunidade de geração de renda continuam sendo estratégias essenciais para reduzir a dependência das famílias em relação à informalidade”.