Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Domingo 14 de Julho de 2024

Menu

Comemoração

Igreja celebra os 50 anos da missa de Sinop

Programação conta com missa festiva, carreata e um churrasco

Geral | 23 de Maio de 2024 as 16h 56min
Fonte: Redação com assessoria

Foto: Divulgação

Há 5 décadas, em um terreno aberto no meio da mata, onde hoje fica o Banco do Brasil, o padre da cidade de Vera, Antônio Heidler, ministrava a primeira missa de Sinop. Para celebrar a data e toda a trajetória da Igreja Santo Antônio, a comunidade católica organiza uma celebração, marcada para o dia 13 de junho – feriado do padroeiro de Sinop.

As comemorações começam as 9h30, com uma missa festiva, presidida por Dom Canísio Klaus na Igreja Santo Antônio. Após a Missa será realizada uma carreata até a Comunidade Brígida, onde será servido um almoço com churrasco e acompanhamentos.

A primeira missa de Sinop foi realizada no ano de 1973. Nela estavam os primeiros moradores da cidade, alguns militares, operários que estavam abrindo a BR-163 e funcionários da Colonizadora Sinop. Ainda não havia igreja na época. As missas eram celebradas, uma vez por mês, na primeira sala de aula construída em Sinop, na rua das Aroeiras, esquina com a rua das Primaveras. Nesta sala também foram realizados os primeiros batizados, as novenas e primeira comunhão.

No início de 1974, o padre Geraldo da Silva Araújo se estabelece em Sinop e passa a celebrar missas aos sábados à noite e aos domingos no período da manhã, ainda na sala de aula. Nesta época é formado o primeiro grupo de jovens da igreja católica, denominado Juventude Católica de Sinop -"JUCASI", que contava com a professora Terezinha Vandresen Pissinati Guerra, Lídia Pissinati Guerra, Lourdes Pissinati Guerra, Aguinaldo Fernandes, Odemar Schenatto, Linor Trierweiller, José Schimidel e Elzo Joanucci.

Em 1974, por ocasião dos preparativos para a fundação oficial da cidade de Sinop, a Colonizadora, desmata uma área no cruzamento das Avenidas das Sibipirunas e das Embaúbas, e, ali, levanta a capela de Santo Antônio, para a missa de fundação da cidade, que foi celebrada pelo bispo da Diocese de Diamantino, Dom Henrique Froelich.

No ano de 1975, foram realizados os primeiros casamentos de Sinop, na capela de Santo Antônio, celebrados pelo padre Geraldo da Silva Araújo, dentre eles os de Otávio Pissinati Guerra e Terezinha Vandresen, no dia 24 de maio de 1975 e Aguinaldo Fernandez e Lídia Pissinati Guerra, no dia 10 de julho de 1975.

Dois anos depois da fundação oficial da cidade, em 1976, foi criada a Paróquia de Santo Antônio, o padre João Salarine, que havia rezado a primeira missa na cidade, foi designado para dirigir a primeira paróquia de Sinop.

Em razão do aumento constante da população, e consequentemente de novos fiéis, a pequena igreja de Santo Antônio passou por várias ampliações. Em 1985 foi construída a primeira igreja dedicada ao Santo, ao lado da antiga capela, que depois foi demolida. Em 1994 a igreja foi reconstruída e modernizada e, em 2000, novamente.

Em 2018 foi construída a nova igreja Matriz Santo Antônio. A atual igreja tem capacidade para 800 pessoas sentadas, é climatizada e conta com uma das arquiteturas mais originais de Mato Grosso, com arte sacra pintada por Mari Bueno, como a imagem do altar onde Jesus Cristo saúda os fiéis entre flores, pássaros e peixes, além do busto de Santo Antônio.

Relíquia de Santo Antônio

A Paróquia de Santo Antônio constitui o embrião da vida religiosa de Sinop e tem o privilégio de contar com um fragmento do corpo do seu santo padroeiro. A relíquia de primeiro grau de Santo Antônio de Pádua veio diretamente da Basílica de Pádua, na Itália. Mari Bueno foi quem iniciou as tratativas com a Basílica de Pádua (Itália) para a obtenção da relíquia de Santo

 

Busto de Santo Antônio

Hoje, no interior da igreja Matriz dedicada a Santo Antônio há o Busto do Padroeiro. O busto de Santo Antônio foi apresentado no Museu de Antropologia da Universidade de Pádua e viajou pela Itália e depois chegou a Sinop. O designer 3D, Cícero Moraes, realizou o processo de reconstrução facial de Santo Antônio de Pádua. Outros profissionais também participaram do projeto. O trabalho foi desenvolvido a pedido do Museu de Antropologia da Universidade de Pádua. O arremate final ficou a cargo da artista plástica Mari Bueno.

No dia 13 de junho de 2021 foi feita a deposição do fragmento de massa óssea do padroeiro no relicário pelo bispo diocesano por Dom Canísio Klaus.

 

Santo Antônio, Padroeiro de Sinop

Dia 13 de junho feriado em Sinop, é dia de Santo Antônio, o padroeiro de Sinop. O Senhor Ênio Pepino, um dos fundadores da cidade, era fervoroso devoto de Santo Antônio. Animado pela fé e um empreendedor entusiasta, além de colonizar o Norte de Mato Grosso preocupou-se também em difundir sua religião. Santo Antônio foi escolhido como padroeiro da cidade.

*Texto e informações coletadas do livro "Raízes da História de Sinop" de autoria do professor Luiz Erardi.