Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Domingo 19 de Setembro de 2021

Geral

Grávida é submetida a parto de emergência após contrair Covid-19

Bebê continua em uma UTI neonatal tratando de uma pneumonia

Alta Floresta | 13 de Abril de 2021 as 15h 37min
Fonte: G1

Uma jovem que estava grávida de 7 meses foi submetida a um parto de emergência após ser diagnosticada com a Covid-19 em Alta Floresta, no dia 19 de março. Após uma semana em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Bruna Luiza Cardoso, de 24 anos, recebeu alta sob aplausos dos profissionais de saúde.

O bebê dela foi transferido para o Hospital Júlio Müller, em Cuiabá, logo após o parto. Heitor Cardoso não contraiu a Covid-19, mas está internado em uma UTI neonatal tratando de uma pneumonia.

“Ele já está melhorando. Os médicos começaram a retirar os sedativos e estão retirando também o oxigênio para ver como ele vai reagir”, contou a avó Marli Ferreira Cardoso, que acompanha o neto no hospital.

Bruna estava bem durante a gestação, segundo a família. No entanto, ao completar 32 semanas, contraiu o coronavírus e foi internada. Devido à gravidade do quadro, os médicos avaliaram que era preciso retirar a criança.

A mãe não chegou a ver o filho após o nascimento. Os dois foram encaminhados para UTI. Ela apresentou uma melhora significativa e teve alta. Já o filho segue em tratamento.

Na semana passada, quando deixava o hospital, Bruna foi aplaudida pelos profissionais de saúde que cuidaram dela durante o tratamento.

Agora ela segue em recuperação em casa e espera reencontrar o filho. A mãe de Bruna disse que os médicos não deram previsão de alta para o bebê e, enquanto ele estiver internado, a mãe não poderá vê-lo.

“Eles [médicos] começaram ontem a retirar os sedativos, mas isso precisa ser devagar. Esperamos que até o fim de semana ele melhore, pois precisa se recuperar bem”, ressaltou a avó.

Desde o início da pandemia, 26 grávidas morreram com Covid-19 em Mato Grosso.