Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Terça Feira 17 de Maio de 2022

Menu

Geral

Governo de MT adquire 15 equipamentos de alto padrão para identificação de drogas

Drogas apreendidas pela polícia no interior do Estado, que antes eram encaminhadas para exame definitivo no Laboratório Forense na capital, serão periciadas nas gerências regionais da Politec

Investimento de R$5,6 milhões | 14 de Março de 2022 as 17h 48min
Fonte: Tita Mara Teixeira - Politec-MT

Foto por: Politec-MT

A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) concluiu o processo de aquisição de 15 equipamentos infravermelhos para a identificação de drogas, que serão destinados às gerências regionais do interior. Os bens foram adquiridos com recursos do Mais MT e da Secretaria Nacional de Política sobre Drogas (Senad) do Governo Federal, na ordem de R$ 5,6 milhões.

O investimento na tecnologia dará mais agilidade à segurança pública e ampliará a capacidade analítica oferecida aos peritos oficias criminais que estão lotados nestas unidades. Com a finalização do processo, a instituição aguarda o prazo para o recebimento dos equipamentos, que serão destinados para as gerências regionais da Politec de Cuiabá, Barra do Garças, Confresa, Cáceres, Rondonópolis, Pontes e Lacerda, Primavera do Leste, Sinop, Sorriso, Garantã do Norte, Tangará da Serra, Água Boa, Nova Mutum e Alta Floresta.

A implementação da Espectroscopia na Região do Infravermelho por Transformada de Fourier (FTIR) nas Gerências Regionais irá garantir resultados tecnicamente mais confiáveis e em conformidade com os padrões internacionais de identificação forense de drogas, uma vez que é classificada como técnica padrão classe A.

As amostras de drogas apreendidas pela polícia no interior do Estado, que antes eram encaminhadas para exame definitivo no Laboratório Forense na capital, serão periciadas na própria unidade descentralizada.

O tempo gasto entre o recebimento da solicitação dos exames e a conclusão do laudo definitivo, pois, hoje o exame de drogas que levava em média 60 dias (entre o exame preliminar, deslocamento e exame definitivo) será reduzido para no máximo 24 horas.

O Diretor de Interiorização da Politec, Mairo Fabio Camargo, destaca que a tecnologia propicia a economia com reagentes químicos, em transporte dos vestígios para a capital, além da maior praticidade na operação.

“Na prática, o laudo emitido na unidade do interior poderá confirmar se o material é realmente droga, não necessitando a espera do envio das amostras até o laboratório forense, em Cuiabá, o que vai diminuir muito o tempo de resposta da Politec nos casos em que são necessários estes exames”, explicou.

A análise das substâncias periciadas dura cerca de três minutos, entre o preparo da amostra até o resultado. A espectrometria analisa a substância por meio da frequência de vibração das ligações químicas da molécula e busca no banco de dados do equipamento a sua identificação.

O equipamento possui uma biblioteca com compostos catalogados, sendo capaz de identificar diferentes tipos de substâncias sólidas e líquidas, como entorpecentes, medicamentos e explosivos.

Por meio do infravermelho espera-se fornecer, no prazo legal, laudos de constatação para subsidiar o inquérito policial e posterior exame definitivo de droga; rápida e eficiente resposta ao combate do tráfico e consumo de drogas ilícitas; e a determinação do perfil químico das drogas circulantes do Estado de Mato Grosso.