Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Segunda Feira 26 de Fevereiro de 2024

Menu

Salário em curto

Funcionários da Energisa iniciam greve

Categoria reivindica aumento de salários e adicional de insalubridade

Geral | 05 de Dezembro de 2023 as 08h 38min
Fonte: Assessoria Energisa

Foto: Assessoria Energisa

Os funcionários da Energisa – empresa que detém a concessão do serviço de distribuição de energia em todo Mato Grosso – estão em greve por tempo indeterminado. A mobilização iniciou nesta segunda-feira (4).

Dentre as reivindicações, os funcionários são contra a criação de um banco de horas e pedem o aumento de salário e pagamento de insalubridade aos leituristas. Outra reclamação é de que a empresa não repassa verba suficiente para a alimentação dos funcionários em viagem, um total de R$ 32 por refeição.

De acordo com Dillon Caparossi, presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Industrias Urbanas (STIU-MT), a primeira pauta com reivindicações foi protocolada no dia 14 de setembro. Desde então, houve dez reuniões com uma comissão da Energisa, mas sem acordo.

“A Energisa não concorda com as reivindicações. Já são dez reuniões que tivemos e, até a nona reunião, a empresa queria tirar vários benefícios. Por exemplo, implantar esse banco de horas e acabar com as nossas horas extras, que são de 100%”, afirma o presidente.

Os funcionários também reclamam da qualidade da frota de veículos disponibilizada, afirmando que eles já tiveram que arcar com conserto e lavagem dos carros com o próprio dinheiro. Muitos que trabalham com leitura se queixam ainda de insalubridade por conta do calor e da chuva. Além disso, as agências de atendimento estariam reclamando de falta de material.

Uma das sugestões para o problema dos funcionários é a implementação de vale-refeição. Segundo a ata da reunião desta segunda-feira, a Energisa confirmou o aumento de contratações até o final de 2024, como também os investimentos na frota de veículos. A Energisa afirmou que internalizará as reivindicações e marcou uma nova reunião para às 14h desta terça-feira (5).