Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Domingo 03 de Julho de 2022

Menu

Geral

Frigorífico de Sinop lança 4 novos cortes de carne

São cortes clássicos em porções menores, bom acabamento e que usam novilhas selecionadas

Pequenos e precoces | 22 de Novembro de 2021 as 10h 29min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: GC Notícias

Quem vai em uma churrascaria de rodízio tira uma lasquinha de cada espeto para poder provar diferentes cortes de carne. Aí, quando tenta reproduzir a experiência em casa, se frustra. No mercado aqueles cortes da churrascaria estão em porções grandes. Mesmo com a boa vontade do açougueiro, pode ser que aquela carne não seja tão boa na churrasqueira quanto parecia ser na gôndola. No fim, ou a conta sai cara pelo volume de carne, o churrasco terá menos opções ou o pessoal terá que usar mais os dentes para compensar a maciez.

Foi olhando esse e outros hábitos atuais de quem consome carne que um frigorífico de Sinop remodelou a sua forma de processar o alimento. Ao invés daquele pacotão com uma peça inteira de fraldão – que hoje chegaria à casa dos R$ 200,00 – um pedaço menor, com meio quilo, bem acabado e pronto para ser preparado.

Esse é o conceito dos novos produtos do Frigobom, frigorífico que nasceu em Sinop e processa o gado produzido na região. Desde 2012 a unidade trabalha com a linha Precoce Grill – uma seleção prime do gado que é abatido na indústria. “Para a linha Precoce Grill são selecionadas novilhas (apenas fêmeas), entre 13 a 24 meses de idade, que atinjam um peso mínimo de 13 arrobas. Com menos de 13 arrobas não dá um corte com bom padrão. A idade é apurada a partir de uma cronologia de arcada dentária. Animais jovens resultam em carne mais macia. Nós ainda avaliamos a conformação muscular e a cobertura de gordura na carcaça, que são indicadores de qualidade da carne”, explica o veterinário e supervisor geral do Frigobom, Rafael dos Santos.

É deste animal de 1ª qualidade que extraem os cortes da linha Precoce Grill. E é a partir desse gado pré-selecionado que saem os 4 novos cortes propostos pelo frigorífico. Começando pela rainha do churrasco: a costela. Quem pilota uma churrasqueira sabe que o ouro da costela é a “janela”. Esse corte extraído do meio do animal, entre o contra-filé e a minga. São 5 ossos cobertos uniformemente por uma camada de carne e gordura. A janela fica linda no espeto. Mas um corte desses pode chegar aos 9 ou 10 quilos. O que o Frigobom fez foi oferecer um corte de costela janela padronizado, com 2 a 2,5 kg. Chamado de “Costela Janela Slim”, o corte é fácil de manejar, de comprar e com um tamanho que permite incluir esse corte no churrasco.

Costela janela

Na mesma pegada está a Costela Minga Slim. É um “bifão” de costela minga, com aproximadamente 1,5kg, que cabe inteira em uma panela ou que pode ser assada facilmente. É só abrir a embalagem a vácuo, salgar e colocar no forno.

O terceiro novo corte da linha é o Assado de Tira. Famoso nos churrascos uruguaios e argentinos, o Assado de Tira vem da costela do dianteiro, pertinho do acém. Esse pedaço de carne, geralmente com bastante gordura marmorizada e com colágeno entre as fibras guarda um sabor singular. Para esse corte, a costela do dianteiro é serrada em fatias finas, resultando em tiras de carne com 5 ossinhos. No Uruguai e na Argentina, onde o corte é muito popular, o rebanho é composto de gado taurino (como o conhecido angus). Esses animais são mais corpulentos, o que garante que o assado de tira tenha um volume de carne considerável a partir dos ossos. No Mato Grosso, o rebanho é praticamente zebuíno (nelore). “Para chegar no Assado de Tira além da seleção dos animais tivemos que chegar na técnica. Então, para manter o padrão, tiramos apenas 3 tiras da costela do dianteiro”, explica o veterinário da Frigobom.

Assado de tira

Embalado a vácuo, o Assado de Tira chega ao mercado em uma embalagem de aproximadamente 1 kg. Levemente mais pesado que o 4º produto da nova linha: o Contra filé em Tiras. Esse corte extraído do lombo do boi tem uma camada de carne com uma cobertura uniforme de gordura. O contra filé, que se encontra no mercado, são peças cortadas perpendicularmente à coluna do boi. Nesse novo produto da Frigobom, o contra filé é cortado paralelamente à coluna. “É um corte contra as fibras, que aumenta a macies”, completa Rafael.

O Contra Filé em Tiras vem em uma embalagem com duas peças, que pesam cerca de 800g. Porção ideal para servir até 3 pessoas.

Contra filé em tiras

 

E o fraldão de 6 kg?

Quem passar no mercado e pegar uma embalagem de cada um desses 4 novos cortes, levará para seu churrasco pouco mais de 5 kg de carne. Segundo Rafael dos Santos, na média geral os cortes da linha Precoce Grill são cerca de 10% a 15% mais caros do que a linha convencional. Diferença em parte atribuída nível de processamento que esses cortes “prime” recebem. Outro tanto pelo fato de serem resultado de uma seleção dos animais que entram na linha de abate.

No total, o Frigobom tem 36 cortes da linha Precoce Grill. Cerca de 40% do gado abatido no frigorífico vai para essa linha – o que mostra a qualidade do trabalho que os pecuaristas estão fazendo da porteira para dentro.

A proposta de repaginar os cortes clássicos, diminuindo o tamanho das porções, não começa com esses 4 novos cortes. Recentemente o Frigobom lançou a Fraldinha Slim e a Fraldinha Red. A Fraldinha Slim traz uma porção de aproximadamente 1,2kg da parte mais espessa do corte, com aquela camada de gordura. Já a Fraldinha Red é a parte mais fina e magra do corte, pesando cerca de 500g.

Então, ao invés daquele “pacotão” com uma peça de Fraldão, dá para comprar um Assado de Tira, uma Janelinha, um Contra Filé em Tiras, uma Fraldinha Slim e uma Fraldinha Red levando para casa menos de 7 kg de carne. Se o assador for bom, tá feito o rodízio.

 

Evolução da carne

O Frigobom persegue o objetivo de produzir carne boa. Para tal conta com uma série de métodos e processos para garantir a qualidade, desde a procedência do animal até o produto chegar ao consumir.

Nascida em Sinop, essa indústria da carne tem uma capacidade de abate de 700 animais por dia. O gado que abastece o frigorífico vem do médio norte de Mato Grosso. São cerca de 600 colaboradores trabalhando na unidade.