Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Terça Feira 16 de Abril de 2024

Menu

Meio Ambiente

Expedição científica revela diversidade aquática no Parque Nacional do Juruena

Pesquisa identificou cerca de 160 espécies de peixes pertencentes a aproximadamente 90 gêneros diferentes.

Geral | 06 de Fevereiro de 2024 as 10h 54min
Fonte: Redação PNB Online

Expedição científica revela diversidade aquática no Parque Nacional do Juruena Foto: Ayslaner Oliveira

Uma expedição científica realizada  no Parque Nacional do Juruena, localizado no norte de Mato Grosso, revelou a surpreendente diversidade da ictiofauna nessa região pouco explorada cientificamente. Coordenado pelo Dr. Marcelo Cioffi da UFSCar, o projeto, financiado pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia da Biodiversidade e Uso Sustentável de Peixes Neotropicais (INCT), identificou cerca de 160 espécies de peixes pertencentes a aproximadamente 90 gêneros diferentes.

A triagem e identificação do material coletado foram realizadas em janeiro de 2024 no Museu de Zoologia da USP. Entre as descobertas mais notáveis estão pelo menos duas prováveis novas espécies sob análise para serem catalogadas.

A expedição abrangeu duas localidades dentro do Parque Nacional do Juruena, em áreas que se sobrepõem com a Terra Indígena Apiakás do Pontal e Isolados. O apoio logístico do ICMBio e dos indígenas locais foi fundamental para o sucesso da expedição, pois a locomoção dentro do parque dependia inteiramente dos rios da região, utilizando voadeiras e até mesmo um pequeno avião para alcançar pontos mais remotos.

Os ambientes amostrados incluíram margens do Rio Juruena, suas corredeiras, afluentes e pequenos igarapés, bem como áreas em cavernas, que abrigam espécies de peixes pouco conhecidas pela ciência. A coleta do material foi feita utilizando redes de arrasto, pequenos puçás e redes de espera.

A Dra. Manoela Maria Ferreira Marinho, da UFPB, enfatizou a importância do estudo. “Compreender de que maneira estas espécies se reproduzem e interagem com a floresta é fundamental para subsidiar ações de conservação para preservar a riqueza que existe na região”.

Além dela, a equipe contou com pesquisadores de outras instituições, gestores do parque e membros das comunidades indígenas locais, destacando a colaboração entre diferentes setores na preservação da biodiversidade.

A riqueza da hidrografia do Parque Nacional do Juruena e sua fauna aquática desempenham um papel crucial no ecossistema, alimentando não apenas outras espécies aquáticas, mas também comunidades inteiras da região. Este estudo destaca a importância de preservar esses ambientes naturais para garantir a saúde e a sustentabilidade dos ecossistemas locais.