Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Terça Feira 28 de Setembro de 2021

Geral

Ex-PM condenado por matar mulher morre após capotar carro em MT

Crime ocorreu em março de 2012, em Cuiabá, e ex-policial havia sido condenado em 2014

Acidente fatal | 02 de Julho de 2021 as 14h 47min
Fonte: Informações G1 MT

O ex-policial militar Fernando Augusto Gomes Bezerra Junior, de 39 anos, morreu na madrugada desta sexta-feira (2) em um acidente na rodovia Palmiro Paes de Barros, em Santo Antônio do Leverger- Mato Grosso. 

De acordo com a Polícia Civil, ele capotou o carro enquanto dirigia. A suspeita é de que ele tenha dormido ao volante.

Fernando havia sido condenado a 20 anos de prisão em 2014 por matar a tiros a própria mulher e o primo dele, em março de 2012 em Cuiabá, mas atualmente cumpria a pena em liberdade.

Segundo a Polícia Civil, o acidente ocorreu por volta de 2h30. Fernando dirigia um Corolla pela rodovia, sentido Cuiabá/Santo Antônio, quando passou pela rotatória que dá acesso à comunidade Morro Grande.

Conforme análise de peritos, o veículo saiu da pista e capotou por aproximadamente 140 metros. Provavelmente o condutor dormiu ao volante.

O veículo foi encontrado capotado com as rodas para cima. O ex-policial foi encontrado morto nas ferragens do automóvel.

O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).

O crime

O crime ocorreu em 2012 na casa de Fernando e da mulher dele, no Centro de Cuiabá. De acordo com a denúncia, o acusado alegou que cometeu o crime após supostamente flagrar o primo e a mulher trocando carícias, apenas com roupas íntimas, no sofá da sala da casa.

Após cometer o crime, Fernando Augusto fugiu com a filha de três anos, mas a devolveu para a família da esposa ao se apresentar à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), três dias depois.

Dois anos depois do duplo assassinato, Fernando foi a júri onde também foi sentenciado a pena de perda de função na Polícia Militar.

A denúncia do Ministério Público Estadual (MPE) apontou que casal discutia com frequência e a mulher era verbalmente e fisicamente agredida pelo marido.

Na ocasião do crime todos esses envolvidos teriam ingerido uma grande quantidade de bebida alcoólica. Consta no processo que Fernando atirou contra a mulher, de 27 anos, que foi atingida por três disparos à queima roupa, na altura do pulmão e coração. O primo do policial, que tinha 25 anos, também foi morto à queima roupa, com cinco a seis tiros.