Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Domingo 14 de Julho de 2024

Menu

Ouça

'Eu conto de cá' podcast produzido em MT conta histórias do Cerrado para crianças

Produção divulga artistas mato-grossenses e apresenta um suporte a famílias e educadores

Geral | 04 de Julho de 2024 as 16h 20min
Fonte: Maria Clara Cabral - Assessoria

Assessoria

Dilemas atuais como a crise climática e o excesso de telas pedem a reconexão com o meio ambiente e maior estímulo à imaginação entre as novas gerações. Estudos e experiências diversas têm demonstrado a importância da arte e outros mecanismos lúdicos e criativos para a comunicação efetiva com as crianças, seu desenvolvimento saudável e conhecimento do mundo. Nessa perspectiva, o podcast 'Eu conto de cá - histórias de um povo do Mato', produção mato-grossense, apresenta aos pequenos o Cerrado, um dos biomas mais ricos e ameaçados no estado.

'Eu conto de cá - histórias de um povo do Mato' terá temporada com oito episódios, disponibilizados durante o mês de julho, sempre aos domingos e às quartas-feiras, nas principais plataformas digitais: Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Podcasts e no Youtube. Nesta última, as histórias também são legendadas e animadas por ilustrações do artista visual Maurício Mota.

No primeiro episódio, 'O dia em que o peixe pintado perdeu as pintas', lançado no domingo (30/06), a autora Paty Wolff e a contadora de histórias Alicce Oliveira convidam os ouvintes a embarcarem em uma aventura para descobrir: "O que poderia atrapalhar o pássaro Martim-Pescador de ver o fundo do rio? Impedir a Dona Capivara de nadar com seus filhotes? Ou mesmo, sumir com as pintas do Peixe-Pintado?", diz a sinopse. Confira aqui: https://www.youtube.com/watch?v=a7YiFM7wscg.

Gravado na Casa Cuiabana, em Cuiabá, 'Eu conto de cá' reúne contos criados por escritores, dramaturgos, roteiristas e outros autores de Mato Grosso; alguns deles, também intérpretes das suas histórias. Com duração de até 25 minutos cada, as histórias são independentes, ou seja, não têm continuidade entre si. Elas trazem, em comum, elementos da biodiversidade e da cultura dos povos do Cerrado. Seres mitológicos, plantas poderosas, animais fantásticos e figurinhas carimbadas como a seriema e o lobo-guará aparecem nas narrativas que refletem sobre saberes ancestrais e outros temas históricos e atuais.

Os episódios seguintes são histórias de Paulo Monarco, Daniela Monteiro, Wuldson Marcelo, Yasmin Moreira, Túlio Paniago e Sophia Paiva. Somam-se às narrações, Alicce Oliveira, Caju Paschoalick, Ana Mello, Débora Vecchi. O quinto episódio conta com duas jovens artistas na autoria e narração: a escritora Niara Terena, de 17 anos, e a intérprete Isis Bonanomi Tortato, de 11 anos.

Todos os episódios tem apresentação e produção de Anne Mathilde, edição de Vicenzo Betini e capas ilustradas por Maurício Mota. Um trabalho conjunto de difusão de informações sobre o cerrado mato-grossense e fortalecimento das identidades e da memória na região.

'Eu conto de cá - histórias de um povo do Mato' foi viabilizado pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT) por meio do Edital Viver Cultura.

 

Suporte para famílias e educadores

Segundo a produtora Anne Mathilde, que é idealizadora do projeto, além de valorizar o trabalho de artistas locais, o podcast 'Eu conto de cá - histórias de um povo do Mato' busca difundir, por meio dos enredos e diálogos, mensagens de respeito ao meio ambiente, a todas as vidas e as diversas formas de existência. "Respeito às pessoas, a natureza e aos animais, promovendo a ideia de inclusão, o senso de coletividade, o reconhecimento das diversidades e a empatia. Levando sempre em consideração a capacidade de entendimento e a inteligência na infância, período de maior aprendizado da vida humana", afirma.

Além da conscientização, são inúmeros os benefícios que um podcast de contação de histórias pode proporcionar ao processo de aprendizado das crianças. "Escutar histórias cria momentos de afeto, amplia nossa visão de mundo e pode colaborar com o desenvolvimento da fala, vocabulário e capacidade de concentração. O áudio estimula a curiosidade e a criatividade, porque escutar as histórias sem imagens é um exercício de imaginação. Tudo isso encaminha a criança para o desenvolvimento de habilidades que contribuirão futuramente para uma vida adulta mais assertiva e saudável", destaca Anne.

Desse modo, 'Eu conto de cá: histórias do povo do Mato' pode auxiliar também os adultos na criação e educação das crianças. "O podcast pode ser um suporte para as famílias, porque ajuda as crias a dormirem melhor, reduzir o estresse do trânsito com viagens mais tranquilas, por exemplo. É uma alternativa para reduzir o tempo de uso do celular pelas crianças, evitando prejuízos à comunicação e sociabilidade. Além disso, pode ser aproveitado como material didático por professoras e professores", finaliza Anne Mathilde.

 

Serviço

Podcast 'Eu conto de cá - histórias de um povo do Mato'

Quando: 30 de junho a 24 de julho, às quartas-feiras e aos domingos.

Onde: Spotify, Youtube, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts e Amazon Podcasts.

Acompanhe pelas redes sociais: https://www.instagram.com/eucontodeca

30/06 - EP. 1: O dia em que o peixe pintado perdeu as pintas

(Autora: Paty Wolff; Narradora: Alicce Oliveira)

 

03/07 - EP. 2: Cê acredita?

(Autor e narrador: Paulo Monarco)

 

07/07 - EP. 3: A menina que carregava uma floresta no chapéu

(Autora e narradora: Daniela Monteiro)

 

10/07 - EP. 4: Onde está o “fora”?

(Autor: Yasmin Moreira; Narrador: Ana Mello)

 

14/07 - EP. 5: Inonókoti – Abranda Mundo

(Autor: Niara Terena; Narrador: Isis Bonanomi Tortato)

 

17/07 - EP. 6: Travessuras, por favor!

(Autor: Wuldson Marcelo; Narradore: Caju Paschoalick)

 

21/07 - EP. 7: Nem tudo que é torto é errado

(Autor: Túlio Paniago; Narradora: Débora Vecchi)

 

24/07 - EP. 8: Jurema, a Seriema

(Autore e narradore: Sophia Paiva)