Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Segunda Feira 27 de Setembro de 2021

Geral

Distrito indígena vai gastar R$ 1,9 milhão com transporte aéreo

Empresa do Amapá mantém por mais um ano contrato que vem desde 2011

Sinop e Canarana | 29 de Abril de 2021 as 18h 55min
Fonte: Jamerson Miléski

O Ministério da Saúde vai desembolsar R$ 1.900.500,00 com a contratação de uma empresa de taxi aéreo. Pelo 10º ano consecutivo a Aerotop Táxi Aéreo Ltda – uma empresa com sede em Macapá, Amapá – foi contratada para prestar serviços ao DSEI-Xingu (Distrito Sanitário Indígena), que é uma unidade gestora descentralizada do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena.

O contrato UASG 257041 foi firmado através de uma dispensa de licitação. Os serviços contratados incluem transporte de pessoas e cargas comuns, cargas perigosas para missões de trocas de equipe, remoções aeromédicas, com sistema informatizado de controle e supervisão de aerotransporte. Esses serviços de táxi-aéreo emergencial devem ter como base as cidades de Canarana e Sinop.

Os pouco mais de R$ 1,9 milhão cobrem as despesas desses serviços no intervalo de 6 meses. São mais de R$ 10 mil por dia. A mesma empresa foi contratada em 2011 pelo mesmo distrito indígena, quando recebeu R$ 2,2 milhões em um período de um ano.

O DSEI-Xingu engloba uma população de 8.126 indígenas, de 29 etnias, em 104 aldeias que perfazem um território de 70,9 mil quilômetros quadrados. A rede de saúde inclui 10 unidades básicas e 4 Casas de Saúde Indígenas.

Em todo Brasil existem 34 distritos sanitários indígenas.