Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Segunda Feira 27 de Setembro de 2021

Geral

Dispositivo Antiqueimadas terá sua primeira torre em Sinop

Associação Ambiental vai lançar

Proteção Ambiental | 05 de Julho de 2021 as 10h 11min
Fonte: Anderson de Oliveira

Assessoria

A AMEA – Associação Mato-grossense de Educação Ambiental vai lançar, oficialmente, nesta quinta-feira, (8), o “Dispositivo Antiqueimadas” - O equipamento, que já passou pela fase de teste, coleta informações e imagens em tempo real. O aparelho monitora a temperatura do ar, umidade, ocorrência de chuva, pressão atmosférica, detecção de chamas, velocidade e direção do vento, e encaminha essas informações para o aplicativo.

A primeira torre, com a inteligência artificial será instalada na fazenda Cascata, em Ipiranga do Norte, propriedade do Prefeito Roberto Dorner. O evento será privado, e vai receber autoridades e lideranças políticas do país, além de produtores rurais, representantes de entidades de classe de Sinop e imprensa.

O físico, Arquimedes Luciano, desenvolvedor do aparelho, fará a apresentação da tecnologia para os convidados, em seguida, o 4° BBM de Sinop, comandado pelo Coronel Geovane Eggers vai simular uma situação de incêndio para mostrar a eficácia do dispositivo.

Os convidados poderão baixar o aplicativo para acompanhar, em tempo real, as informações capturas pelo equipamento durante o evento.

“No ano de 2020, no Pantanal (Mato Grosso e Mato Grosso do Sul) foram identificados mais de 8 mil focos de incêndio, marca recorde, considerando que os maiores focos foram no ano de 2005 onde foram identificados 5.993 focos. Com a implantação do dispositivo, vai reduzir o tempo de resposta a incêndios”, explicou a Presidente da AMEA, Agneia Siqueira.

No início, serão instalados 20 dispositivos na região do Pantanal. A Associação busca recurso para pagar o projeto que está avaliado em R$ 3 milhões.

Na prática, será criada uma rede de dados exclusiva para o tráfego destas informações, utilizando tecnologia de rádio em frequência homologada que permitirá de modo imediato acessar as informações de qualquer dos pontos de monitoramento, incluindo a verificação da necessidade de manutenção. A proposta é diminuir os incêndios florestais, e evitar que outra catástrofe aconteça no Mato Grosso. 

O “Radar do Fogo”, popularmente batizado, já despertou interesses de pesquisadores de diferentes locais do mundo, inclusive da Nasa – Agência espacial americana.

Saiba mais www.amea.eco.br