Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Terça Feira 23 de Julho de 2024

Menu

Operação

Diretor de cadeia usou conta de suposta amante para receber mais de meio milhão de criminosos

Investigação descobriu movimentação atípica da conta bancária da suspeita com valores acima de seus ganhos. Uma caminhonete e um carro de passeio foram encontrados em seu poder

Geral | 09 de Maio de 2024 as 14h 57min
Fonte: O documento

Foto: Divulgação

Dados coletados na investigação da Polícia Civil apontam que o diretor da Cadeia Pública de Primavera do Leste, Valdeir Zeliz dos Santos, utilizava a conta de parentes, presos e da amante E.F.N., 27 anos, para receber dinheiro de Janderson Lopes, condenado a 39 anos de prisão e uma das lideranças da facção Comando Vermelho em Mato Grosso.

Conforme a Polícia Civil, entre 1º de fevereiro de 2022 a 6 de novembro de 2023, foram movimentados na conta bancária de E.F.N., entre saída e entrada de recursos, o total de R$ 532.763,82. Além disso, foram apreendidos em poder dela uma camionete VW Amarok branca e um veículo Ônix cinza.

Ela é uma das investigadas na operação La Catedral. Conforme a Polícia Civil, E.F.N. recebeu pagamentos de presos em sua conta corrente, além de valores do diretor da cadeia e de seu irmão, ambos alvos da operação. Os valores movimentados na conta da investigada são superiores à sua capacidade financeira.

Além disso, foram identificados vários depósitos fracionados para não chamar a atenção das instituições financeiras, em atividade típica de lavagem de capitais. O irmão dela que ficou detido na cadeia de Primavera do Leste, também fez depósitos na conta bancária dela.

A Operação La Catedral foi deflagrada na terça-feira (7) e cumpriu 132 ordens judiciais entre prisões preventivas, buscas e apreensões, bloqueios de contas bancárias, além de sequestro de bens móveis e imóveis dos investigados. A investigação apura os crimes de corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de capitais e facilitação de saída de pessoa presa para atividades ilegais.

Um dos principais alvos da investigação é Janderson dos Santos Lopes. Apesar de estar detido em regime fechado na Cadeia Pública de Primavera do Leste, ele tinha total liberdade para continuar com suas atividades criminosas lideradas a partir da cadeia pública porque só ia até a unidade apenas para dormir.

 

Venda de benefícios aos presos

Mesmo sendo alvo de duas operações anteriores da Polícia Civil para combater o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro – Três Estados e Red Money – e condenado a 39 anos de prisão, em pouco mais de um ano de sua transferência para a cadeia de Primavera do Leste, Janderson adquiriu um considerável patrimônio, incluindo a abertura de empresas; compra de uma frota de caminhões com reboques e semirreboques; imóveis em Cuiabá, Primavera do Leste e Poxoréu; e veículos de luxo para ele e para sua esposa, que também foi presa. Além disso, ele ostenta em rede social uma vida de alto padrão, compartilhando imagens de seus caminhões, carros, construções imobiliárias e também de gado bovino, como se fosse um cidadão livre.

A equipe de investigação apurou que o criminoso tinha autorização judicial para trabalhar externamente e frequentar a faculdade em Primavera do Leste, mas não comparecia ao trabalho e nem às aulas do curso.

Valdeir Zeliz dos Santos foi alvo da Operação La Catedral na manhã desta terça-feira

No inquérito ainda foi relatada a existência de um esquema de corrupção na venda de benefícios dentro da unidade prisional que incluíam, principalmente, a autorização de trabalho externo e alojamento privilegiado na cadeia.

Entre os pagamentos de propinas para o diretor da cadeia pública foi apurado que Janderson Lopes teria transferido R$ 20 mil, por intermédio de outras pessoas, para conseguir trabalho externo. Além dele, outros presos também teriam feito pagamentos para o trabalho extramuros.