Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Domingo 21 de Abril de 2024

Menu

Envolvidos em confusão

Delegado, esposa investigadora e sogra pagam fiança de R$ 8 mil após prisão e são liberados

Delegado e esposa serão investigados pela Corregedoria-Geral da Polícia Civil

Geral | 15 de Fevereiro de 2024 as 02h 26min
Fonte: O documento

Foto: Divulgação

Envolvidos em uma confusão com disparos de arma de fogo em Chapada dos Guimarães, delegado, esposa investigadora e sogra pagaram fiança e foram liberados pela autoridade policial na terça-feira (13). A informação consta na decisão que homologou o arbitramento da fiança, assinada pela juíza Ana Cristina Mendes, do plantão criminal do Município.

Conforme a decisão, o delegado foi colocado em liberdade após pagar uma fiança no valor de R$ 5 mil. Já investigadora pagou R$ 1,5 mil para ser solta e a mãe dela, R$ 1,4 mil.

Conforme a Polícia Civil, tanto o delegado quanto a investigadora serão investigados, criminalmente, por violência doméstica e disparo de arma de fogo, respectivamente. Ambos também serão investigados administrativamente pela Corregedoria-Geral da Polícia Civil.

 

Entenda o caso

O delegado, que atua na Regional de Cáceres, registrou um boletim de ocorrência contra a esposa e a sogra após as duas supostamente atirar contra ele, na casa do casal, em Chapada dos Guimarães.

A investigadora, que atua em Chapada, também registrou um B.O. contra o marido negando os fatos e afirmando ser vítima de violência doméstica.

Na versão do delegado, a briga teve início após ele dizer que retornaria para Cáceres, mas a investigadora teria dito que “ele não iria sozinho”.

Os dois então seguiram viagem, mas no caminho, a mulher teria dito que não iria mais e que era para deixá-la em casa. O delegado afirmou que voltou para a casa e pediu para que a esposa deixasse o carro para que ele fosse embora.

No entanto, segundo ele, a mulher teria se negado e “abriu o porta luvas do veículo, sacou uma arma e apontou a arma para o declarante”.

Conforme o delegado, ele se esquivou em volta do veículo, momento em que a investigadora teria atirado contra ele. Ainda segundo o delegado, a mãe da mulher teria saído para saber o que estava acontecendo, quando também teria atirado contra ele. O delegado disse que conseguiu fugir do local correndo.

Já a investigadora afirmou que a confusão começou após o marido ter ficado com ciúmes do padrasto dela. Após uma discussão entre o casal, o delegado teria, segundo ela, efetuado três disparos na residência.

Ainda no boletim, ela revelou  que já foi agredida por cinco vezes pelo marido, inclusive na frente do filho de 14 anos.