Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Domingo 19 de Setembro de 2021

Geral

Comissão aprova projeto que mudar regras do Fundo de Financiamento do Norte

Juarez Costa, deputado federal com base em Sinop, foi o relator do projeto

Fomento | 12 de Agosto de 2021 as 15h 45min
Fonte: Redação

Foto: Thiago Bergamasco - Agência Phocus

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural aprovou nesta quarta-feira (12), o projeto de lei nº 5.435/2019, que versa sobre a aplicação dos recursos do FNO (Fundo Constitucional de Financiamento do Norte). Os membros da comissão seguiram o relator do projeto de lei, deputado federal Juarez Costa (MDB), que tem sua base eleitoral em Sinop. A matéria é de autoria do deputado Lúcio Mosquini (MDB de Rondônia).

Em tramitação desde 2019, o projeto de lei torna o Fundo exclusivo para agricultura familiar, de agricultura de baixo carbono, agropecuário, de pesca e aquicultura, de floresta e agroindustrial. O argumento do autor do texto é de que são essas áreas as mais importantes a serem fomentadas pelo Fundo. Na justificativa do projeto, Mosquini cita que em 2019 apenas R$ 3,4 milhões do fundo foram empregados nesses setores – o que correspondia a 37% do volume a ser financiado. Para fazer com que mais dinheiro chegue para a agropecuária, pesca e atividade industrial, o deputado apresentou o projeto removendo as demais áreas a serem financiadas pelo fundo.

A lei original, de 1989, incluía na lista de setores com acesso ao fundo atividades mineral, industrial e empreendimentos comerciais. A agropecuária e a agroindústria foram mantidas. Pesca, agricultura de baixo carbono e agricultura familiar foram incluídas.

Criado em 1989, o FNO é operado pelo Banco da Amazônia. Seu objetivo é o de contribuir para o desenvolvimento econômico e social da região Norte, mediante a execução de programas de financiamento aos setores produtivos, possibilitando a redução da pobreza e das desigualdades. O FNO financia investimentos de longo prazo, capital de giro ou custeio.