Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Terça Feira 16 de Abril de 2024

Menu

Sinop

Comerciantes vão instalar 200 câmeras que serão usadas pela Polícia

Cooperação vai aumentar a rede de monitoramento a serviço da segurança pública

Geral | 01 de Março de 2024 as 10h 48min
Fonte: Jamerson Mileski

Foto: Divulgação

O comércio vai dar uma “visão a mais” para a polícia. A secretaria estadual de Segurança Pública e a ACES (Associação Comercial e Empresarial de Sinop), assinaram na última terça-feira (27), o Termo de Cooperação Técnica 09731/24 para o Programa Vigia Mais MT – outro “Mais” da gestão do governador Mauro Mendes. O documento solda uma parceria entre comerciantes e o setor da Segurança Pública a fim de ampliar a estrutura de vídeo monitoramento na cidade de Sinop.

Não há repasse de valores na cooperação. A ACES irá comprar as câmeras e intermediar a instalação junto aos comerciantes. Às empresas cabe ceder a estrutura, o local onde o equipamento será instalado além de energia elétrica e internet. “Ainda estamos procurando por mais empresas parceiras para ampliar o número de equipamentos a ser instalado”, explica o presidente da ACES, Clayton Laurindo.

A expectativa é de que sejam instaladas 200 câmeras. Os locais dos equipamentos foram definidos por um mapeamento realizado pelo serviço de inteligência da Polícia Militar – levando em conta fatores como a movimentação de pessoas, rotas de entrada e saída da cidade e ponto de visibilidade. Um ponto importante do acordo é de que as câmeras devem estar exclusivamente voltadas para locais públicos, sendo vedado o monitoramento de áreas privadas das empresas parceiras.

As imagens geradas serão monitoradas, em tempo real ou depois de armazenadas, pelos órgãos de segurança pública do Estado. O termo tem validade de 60 meses – 5 anos.

Segundo Laurindo, a implantação das câmeras será feita por etapas. Nos últimos dois meses a associação iniciou a negociação com as empresas colaboradoras para viabilizar a implantação. No entanto, ainda é preciso aumentar essa lista, a fim de cobrir os pontos propostos pelo serviço de inteligência da PM.