Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Segunda Feira 26 de Fevereiro de 2024

Menu

Saldo de 10 meses

Com quase 11 mil postos de trabalho, agropecuária é o segundo setor que mais emprega em Mato Grosso

O setor de serviços foi o principal empregador nesses primeiros dez meses em Mato Grosso

Geral | 20 de Dezembro de 2023 as 12h 53min
Fonte: O documento

Foto: Divulgação

De janeiro a outubro de 2023, a agropecuária foi o 2º setor que mais gerou empregos em Mato Grosso. Do saldo de 57.497 novos empregos, 10.811 novos postos de trabalho foram contratações do agro, o que corresponde a 18,8% do total dos novos empregos. As informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O setor de serviços foi o principal empregador nesses primeiros dez meses em Mato Grosso, com 21.834 postos. No ano passado, o agro foi o terceiro maior contratante ao abrir pouco mais de oito mil novos empregos e neste ano, em apenas 10 meses as contratações na agropecuária já superaram todo o ano de 2022.

O setor do agro é um dos mais promissores para a entrada dos jovens, mas o trabalho no campo ainda é permeado pela falta de informação e muitas dúvidas. Para fazer essa ponte dos jovens com as vagas no setor que sustenta a economia de Mato Grosso, o Instituto Farmun tem promovido eventos como o FarmDay, com objetivo de aproximar o jovem do campo e mostrar as várias oportunidades de desenvolvimento de carreiras e renda.

“Esta é uma das ações sociais que a gente exerce. Mas o FarmDay em si, ele não é somente com estudantes, nós recebemos representantes de outros países, nós recebemos entidades daqui como a Famato, o Senai, que são grandes parceiros nossos. Neste ano, nós realizamos 19 FarmDays, com participação de estudantes e entidades governamentais e não governamentais. Para o ano de 2024, vamos realizar cerca de 30 Farmdays, impactando diretamente a vida de 1.200 jovens”, explica o diretor-executivo do Instituto Farmun, Michel Muniz.

Muniz explica ainda, que existem várias oportunidades de emprego no campo, principalmente para jovens do ensino médio. Além disso, as chances de crescimento na carreira são muito maiores. Existem profissionais que começaram como aprendizes ou estagiários e se tornaram empresários de sucesso na agricultura ou possuem cerca de 20 a 30 anos de empresa.

“As possibilidades de empregos dos jovens no agro hoje são diversas. Há uma estrutura muito grande de tecnologia da informação, direito, contabilidade, administração e as demais carreiras que todos já conhecem, como agronomia e medicina veterinária. Contudo, o Instituto Farmun agrega com uma informação que hoje não é muito conhecida: quem está no ensino médio pode iniciar a carreira com um curso de técnico-agrícola, um curso de operador de drone, um curso de agricultura digital, que não requerem diplomas universitários, mas já qualificam para uma oportunidade de emprego dentro da agricultura, de uma forma mais direta. Assim, depois de ingressar na empresa ou na fazenda, a própria contratante pode ajudar o funcionário subsidiando cursos para que se qualifique ainda mais e melhore a carreira”, pontuou.