Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Segunda Feira 20 de Setembro de 2021

Geral

Com mais de 170 mil multas, radares não reduziram número de acidentes

Menor número de acidentes foi registrado em 2018, um ano antes dos radares

Sinop | 09 de Abril de 2021 as 19h 08min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: GC Notícias

Em junho, os 104 equipamentos de monitoramento do trânsito instalados em Sinop serão removidos. Essa é a promessa do prefeito Roberto Dorner (PRB), que assinou, no final de março deste ano, a rescisão do contrato com a empresa que presta o serviço. O contrato, de dois anos, encerra em maio.

Efetivamente os radares entraram em operação em outubro de 2019. Na chamada “fase teste”, 11 equipamentos contabilizaram 12.085 multas, que acabaram sendo convertidas em “notificações educativas”. No mês seguinte, novembro de 2019, foram 5.675 infrações capturadas pelos radares. Em dezembro do mesmo ano foram 15.048 – pico máximo das multas.

Ao longo de 2020, os equipamentos instalados a pedido da prefeitura contabilizaram 134.738 infrações de trânsito – uma média de 369 multas por dia. Os dados são da secretaria de Trânsito do município. As estatísticas mostram que os condutores se acostumaram com a presença do equipamento. Em fevereiro de 2021 foram registradas 6.821 infrações – praticamente a metade do primeiro mês de operação dos equipamentos.

Embora os condutores tenham aprendido a andar mais devagar nos pontos monitorados pelos equipamentos, não há uma equivalência na redução do número de acidentes. O aumento nas ocorrências nas vias urbanas não pode ser apenas atrelado ao aumento da frota.

Em 2016, Sinop registrou 1.130 acidentes de trânsito. Houve uma leve queda em 2017 e depois uma redução maior, em 2018, quando 859 acidentes ocorreram nas vias do município. Em 2019, no primeiro ano de operação dos radares, o número subiu para 973. Embora tenha sido registrado uma queda em outubro de 2019 (quando os equipamentos foram ligados), as ocorrências voltaram a subir nos meses seguintes.

O aumento no número de acidentes se confirmou em 2020. Foram 1.215 sinistros – uma média de 3,3 colisões por dia. Esse foi o pior ano para o trânsito de Sinop, mesmo com todas as restrições implementadas pela pandemia. As estatísticas mostram que em 2021 a tendência permanece. Nos 3 primeiros meses do ano a média de acidentes em Sinop é de 3,6 por dia.

 

Efeito colateral

Com hospitais lotados e a ausência de leitos de UTI, a preocupação era de que o desligamento dos radares poderia provocar um efeito rebote na saúde pública em função dos acidentes de trânsito. A estatística da secretaria de trânsito não mostra essa equivalência.

O ano com o menor número de acidentes nessa curta série histórica – 2018 – foi marcado pela instalação de diversos redutores de velocidade (quebra molas), em especial na Avenida André Maggi, um dos pontos de maior fluxo do município.