Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Terça Feira 23 de Julho de 2024

Menu

Cuiabá 305 anos

Capital registra alta de 35% no setor da economia criativa em 2024

Sebrae-MT apoia o empreendedorismo na Capital e fortalece iniciativas voltadas à economia criativa, por meio da nova agência Cuiabá

Geral | 08 de Abril de 2024 as 11h 34min
Fonte: Assessoria Sebrae-MT

Foto: Assessoria Sebrae-MT

A Capital mato-grossense, Cuiabá, completa 305 anos nesta terça-feira (08.04), e, o Sebrae/MT (Serviço de Apoio às Pequenas e Média Empresas em Mato Grosso), celebra a data com o registro do aumento de 35% do número de empreendimentos que atuam na economia criativa. Conforme dados compilados pela instituição, entre janeiro e março, a quantidade de registros de empreendimentos da atividade criativa no município saiu de 121 em 2023, para 164 neste ano.

O setor da Economia Criativa é formado por 43 CNAEs (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) e, em 2024, já representa 2% dos pequenos negócios da Capital, dado que mostra a atuação do Sebrae/MT frente ao fortalecimento do setor na baixada cuiabana, por meio da nova agência Cuiabá, implantada neste ano.

Conforme o gerente regional do Sebrae/MT em Cuiabá, Charles Padilha, a representação de setor de criação na economia pode ser ainda maior. “Ainda não é possível mensurar o real o peso dessas atividades, mas acreditamos nos potenciais e queremos fortalecer e fomentar este segmento. Sabemos que a economia criativa representa em torno de 1,2% do PIB no estado e em Cuiabá, chegamos a 2% graças a um esforço do Sebrae/MT, que trabalha para esclarecer a esse grupo a importância de se reconhecer como um eixo econômico específico e usufruir dos benefícios disso”, disse o gerente.

Seja nos quintais cuiabanos, nos palcos de espetáculos nacionais e internacionais, a tradição e a identidade cuiabana gera emprego, renda e impulsiona a economia local, por meio dos grupos tradicionais e contemporâneos. Além do setor artístico, Cuiabá tem forte influência na produção de artesanatos, vestimentas e a gastronomia, que também refletem em fontes de renda para os pequenos negócios locais.

“Os quintais cuiabanos, formados por grupos de cururu e siriri, preservam o que há de mais tradicional da nossa cuiabania, uma identidade que vem de um ‘mexidão’ cultural e histórico, com influências europeias, dos povos de matriz africana e indígenas. Ao mesmo tempo, temos os grupos contemporâneos, que refletem essa identidade em novas manifestações, por exemplo, temos bandas, que fazem uma releitura do rasqueado cuiabano e trazem uma nova perspectiva da linguagem tradicional. Isso é um benefício para nós, enquanto cultura, povo e economia, por atraírem novos públicos fora do estado e do país. São pessoas que ao se interessar por nossa tradição, começam a consumir a nossa cultura”, analisa Felipo Abreu, gestor estadual da Economia Criativa do Sebrae/MT.

Para o gestor, o desenvolvimento da economia da cidade conta com uma significativa contribuição dessas manifestações culturais. “Por exemplo, nos quintais de cururu e siriri, em temos a dança e a música, temos apresentações que envolvem muitos agentes da economia criativa. Estou falando da elaboração e confecção do figurino pelas costureiras, da produção dos instrumentos tradicionais, ou seja, eu tenho uma série de empreendimentos criativos diretamente vinculados nessa manifestação cultura. Além disso, a atividade criativa também movimenta outros negócios, como alimentos e bebidas, prestadores de serviços de som e iluminação, imagens, dentre outros agentes”, explica.

 

Apoio

O crescimento do setor criativo na Capital, consolida Cuiabá como a cidade com maior volume de negócios criativos do Estado. “É em Cuiabá que temos a maior densidade de empreendimentos criativos e, justamente por entender esse potencial empreendedor para o desenvolvimento econômico da cidade, que existe todo um esforço da nossa nova agência para nos aproximarmos desse público, gerar conexões, estratégias e soluções”, declara Charles Padilha.

O Sebrae/MT possui soluções disponíveis para todos os donos de negócios criativos, formalizados ou não, como esclarece Sara de Paula, gestora de Economia Criativa na Agência Cuiabá. “Seja uma empresa formalizada, ou alguém que gostaria de se formalizar, ou ainda não sabe como se formalizar, a gente acolhe e atende. Temos o objetivo de melhorar o desempenho de gestão desses e de outros empreendedores. Por exemplo, às vezes eles têm dificuldade em precificar um show, precificar uma apresentação, enfim, o Sebrae/MT pode ajudar, e também temos soluções de gestão do negócio, marketing, redes sociais ou outros meios de comunicação como uma forma de impulso para a carreira”, diz.

Resoluções mais específicas e customizadas também são elaboradas pelo Sebrae/MT “nós, enquanto instituição, queremos que essas pessoas vivam felizes com aquilo que fazem, sejam protagonistas dos negócios em que elas estão e que tenham o Sebrae/MT como um grande parceiro nesse desenvolvimento”, finaliza Sara.