Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Quinta Feira 07 de Dezembro de 2023

Menu

Alerta

Brasil registra dois casos de gripe aviária no Espírito Santo

Ministério da Agricultura declara "estado de alerta", mas garante que não há risco para alimentação humana

Geral | 15 de Maio de 2023 as 16h 16min
Fonte: Daniel Rittner -CNN Brasil

Foto: Divulgação

O Ministério da Agricultura anunciou, nesta segunda-feira (15), ter detectado dois casos de gripe aviária no litoral do Espírito Santo. São os primeiros registros da doença no Brasil em versão de alta patogenicidade.

O diagnóstico foi feito em duas aves marinhas da espécie Thalasseus acuflavidus, conhecidas popularmente como trinta-réis-de-bando, em Vitória e no município de Marataízes.

A pasta informou que o Brasil mantém o status de país livre de influenza aviária e disse que não há nenhum motivo de preocupação para os consumidores.

Mesmo assim, o ministro Carlos Fávaro declarou “estado de alerta”, a fim de aumentar a mobilização do setor privado e de todo o serviço veterinário oficial.

Amostras biológicas enviadas ao Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de São Paulo, unidade de referência da Organização Mundial da Saúde Animal (OMSA), confirmaram a contaminação das aves no Espírito Santo pelo vírus H5N1.

Fávaro foi às suas redes sociais para garantir que o assunto será tratado com “a maior transparência e eficiência”.

“Já estamos adotando todas as providências e reforçando o alerta para que todos façam sua parte”, disse ele.

De acordo com o ministro, não há risco para a alimentação humana. Ele fez um apelo, porém, para que a população avise o serviço veterinário caso aviste alguma ave doente.

A influenza aviária, também conhecida como gripe aviária, é uma doença viral altamente contagiosa que afeta, principalmente, aves silvestres e domésticas. Atualmente, o mundo vivencia uma pandemia de H5N1.

Em nota, o ministério afirmou que “infecções humanas pelo vírus (…) podem ser adquiridas, principalmente, por meio do contato com aves infectadas, vivas ou mortas, ou ambientes contaminados, secreções respiratórias, sangue, fezes e outros fluidos liberados no abate das aves”.

“Deste modo, lembramos a toda a população que, ao avistar aves doentes, acione o serviço veterinário local. Não se deve tocar e nem recolher aves doentes”, acrescenta a nota.