Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Domingo 14 de Julho de 2024

Menu

Placar apertado

Bolsonaristas de MT votam para soltar deputado apontado como mandante da execução de Marielle

Geral | 11 de Abril de 2024 as 09h 36min
Fonte: Redação OlharDireto

Foto: Montagem - Olhar Direto

Os cinco deputados bolsonaristas de Mato Grosso votaram, nesta quarta-feira (10), pela soltura do deputado Chiquinho Brazão (sem partido - RJ), detido pela Polícia Federal sob acusação de ser o mandante do assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes, em 2018.

Foram favoráveis à soltura do parlamentar: Abílio Júnior (PL), Amália Barros (PL), Coronel Assis (UNIÃO), Coronel Fernanda (PL), José Medeiros (PL). Contrários  à soltura: Emanuelzinho (MDB), Gisela Simona (UNIÃO) e Juarez Costa (MDB).

A Câmara dos Deputados, no entanto, manteve, por 277 votos favoráveis, a prisão em flagrante do parlamentar. Houve 129 votos contra a prisão e 28 abstenções.

O Plenário da Câmara acompanhou parecer da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), de autoria do deputado Darci de Matos (PSD-SC), que recomenda a manutenção da prisão preventiva por crime flagrante e inafiançável de obstrução de Justiça com o envolvimento de organização criminosa.

Além do deputado, é acusado de ser o mandante do crime o seu irmão, Domingos Brazão, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro. O processo passou a tramitar no Supremo porque ambos têm foro privilegiado.