Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Domingo 14 de Julho de 2024

Menu

Investigação

Bebê gêmeo morre no Hospital Regional de Sorriso e SES instaura sindicância para apurar negligência médica

Família denuncia que grávida não recebeu o acompanhamento adequado

Geral | 15 de Maio de 2024 as 18h 39min
Fonte: Portal Sorriso

Foto: Reprodução

Um bebê gêmeo faleceu no Hospital Regional de Sorriso no último sábado (11), e a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) abriu uma sindicância para investigar possíveis casos de negligência médica durante o atendimento à gestante. A família da adolescente de 16 anos, que estava grávida de gêmeos, denuncia que ela não recebeu o acompanhamento adequado, o que resultou na morte de um dos bebês.

Segundo a avó das crianças, Letícia Sales de Paula, a jovem já havia apresentado sinais de infecção 15 dias antes do parto e foi medicada no hospital, mas não recebeu acompanhamento posterior. Na quinta-feira ou sexta-feira, ela retornou ao hospital com fortes dores, mas, segundo a família, apenas recebeu soro e foi mandada para casa sem exames.

Atraso no ultrassom e morte do bebê:

No sábado, com o agravamento dos sintomas, a grávida voltou ao hospital e foi atendida por uma enfermeira que iniciava um cardiograma. No entanto, a médica teria interrompido o procedimento alegando que só poderia ser realizado após a 37ª semana de gestação, mesmo com a jovem já completando 37 semanas. A ultrassom, realizada apenas no dia seguinte, constatou a morte de um dos bebês.

Investigação em andamento:

A SES-MT, por meio de nota oficial, afirmou que as equipes do hospital prestaram todo o atendimento necessário à paciente e aos familiares, incluindo acompanhamento psicológico. A pasta também informou que o Hospital Regional de Sorriso já instaurou uma sindicância interna para apurar os fatos do caso.

Família busca justiça:

A família da adolescente espera que a sindicância aponte as responsabilidades pela morte do bebê e que os responsáveis sejam punidos. O caso gera grande comoção na cidade de Sorriso e levanta questionamentos sobre a qualidade do atendimento pré-natal e a assistência à gestante no sistema público de saúde.