Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Quarta Feira 29 de Junho de 2022

Menu

Geral

Banco gaúcho vai operar parte da aposentadoria dos servidores da prefeitura

Convênio será uma opção complementar para servidores que ganham acima do teto da previdência

Previdência complementar | 22 de Junho de 2022 as 16h 52min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Divulgação

A Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar), autorizou na última semana a celebração de um convênio entre a prefeitura de Sinop e a Fundação Banrisul de Seguridade Social – integrante do Banco do Estado do Rio Grande do Sul. A permissão da Previc faz parte das exigências para a implantação dos Planos de Previdência Complementares, previstos na reforma da Previdência como uma das medidas para minimizar os impactos que a mudança na legislação trará para a aposentadoria dos trabalhadores – nesse caso, os servidores da prefeitura de Sinop.

É o que explica a diretora do Previ-Sinop, Daniela Sevignani. “A aprovação da Previc é parte do processo para estabelecermos uma previdência complementar para os servidores, atendendo a Emenda à Constituição número 103, que alterou o Regime Geral de Previdência”, comentou. Estabelecer um plano de previdência complementar para os servidores é uma das medidas dessa transição.

Na prática, o município de Sinop firma um convênio com uma instituição que irá operar essa Previdência Complementar. “Complementar” porque ela diz respeito aos servidores que recolhem para além do teto previdenciário, que é de R$ 6.433,57. Todos os funcionários da prefeitura recolhem a contribuição previdenciária até esse valor junto ao Previ-Sinop, que é a instituição que cuida do fundo de aposentadoria dos servidores. A partir desse montante, o servidor deve recolher o valor em uma previdência complementar – caso queira ter um valor de aposentadoria mais próximo do seu salário. “Essa regra se aplicará aos novos servidores contratados por concurso público a partir da nova lei”, explica a diretora.

A adesão à previdência do Banrisul será facultativa, tanto para os novos quanto servidores como para aqueles já contemplados pelo Previ-Sinop que podem escolher fazer uma “reserva extra”, junto ao fundo. Daniela explica que o convênio com o Banrisul não gera comprometimento financeiro das reservas monetárias do Previ-Sinop, que atualmente estão na casa dos R$ 500 milhões. “O Previ-Sinop tem uma boa saúde financeira, compatível com seus segurados. O convênio com o Fundo do Banrisul faz parte de uma transição que irá assegurar condições mais equilibradas para os servidores que ingressarem na administração pública já no novo regime de previdência”, comentou.

O Fundação Banrisul foi escolhida através de um processo de licitação, lançado em novembro de 2021. Foram 6 entidades participando do certame, que avaliou a capacitação técnica, as condições econômicas e o plano de benefícios oferecido por cada uma. A Fundação Banrisul obteve 274 pontos, seguida da Viva Previdência com 267 pontos e do Fundo de Previdência do Banco do Brasil, com 264 pontos.

Para embasar o certame, a prefeitura apresentou os dados do seu funcionalismo público. Na época a gestão contava com 2.607 servidores concursados, que juntos perfaziam uma folha mensal de R$ 13,4 milhões, com um salário médio de R$ 3.810,47. Como se tratava de uma proposta para Previdência Complementar, a gestão cingiu o número de servidores que seriam contemplados nesse universo. Dos mais de 2,6 mil servidores atuais, 539 tinham salários acima do teto previdenciário – cerca de 20% do total. Nesse grupo, a média salarial era de 9.860,00.