Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Terça Feira 28 de Junho de 2022

Menu

Geral

Amazonik quer colocar Sinop no mapa mundial da inovação

Projeto piloto é um embrião para um gigantesco complexo de desenvolvimento tecnológico

Ousadia e tecnologia | 06 de Maio de 2022 as 17h 47min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: GC Notícias

Fazer tecnologia na terra das commodities. Essa é a meta ousada de um grupo de investidores que pretendem implantar em Sinop um colossal “distrito industrial”, cujas fábricas produzirão conhecimento. O Amazonik Distrito de Inovação será uma área com mais de 200 hectares que concentrará empresas que atuam no desenvolvimento de inovação e tecnologia. Mas isso é para o futuro. A “floresta” de inovação começa com uma “semente”, que já foi plantada.

É o que explicam os empreendedores a frente do projeto Almir Salvadori, Guilherme Campanhoni e Cleber Nunes. O conceito do Amazonik começa a brotar a partir de um projeto piloto que será estartado no dia 1º de junho. Essa é a data que entra em atividade o Centro de Inovação. “Começaremos como um piloto, implantando um espaço físico que reunirá as mentes e as iniciativas de inovação que já existem na cidade. E a partir desse movimento construiremos o projeto das instalações definitivas do Centro de Inovação, já na área reservada para abrigar o distrito de inovação”, explica Salvadori.

O embrião do Centro de Inovação se desenvolverá em um prédio de 400 metros quadrados, localizado no Jardim Florença. É uma espécie de “maquete” do que será a instalação definitiva. Com um ambiente disruptivo, que estimula e conversa com as mentes inovadoras, há uma sala de reuniões, um estúdio de áudio e vídeo, coworking 24 cadeiras, cafeteria e um salão com capacidade para até 80 pessoas, aberto e que pode ser ajustado de acordo com a característica do evento. “Sinop possui instituições de ensino superior, centros de pesquisa, instituições e empresas ligadas à inovação e a tecnologia. As mentes que criarão as soluções para os problemas de hoje e do futuro já estão aqui. Estamos construindo um espaço físico para reuni-las e integra-las. Queremos que o Amazonik seja um ecossistema da inovação”, pontou Salvadori.

Campanhoni explica que durante o desenvolvimento do projeto do Centro de Inovação, a equipe buscou conhecer e se inspirar em outros empreendimentos similares, já consolidados. “Os lugares que visitamos se tornaram núcleos fartos de conhecimento voltado para inovação. São pontos de troca de conhecimento, cooperação técnica entre os agentes de inovação e principalmente negócio. As grandes empresas quando tem um problema fazem uma apresentação nesses centros de inovação em busca de uma solução que será produzida por esses agentes. É isso que esperamos fazer em Sinop. Integrar e expandir a inovação”, defendeu Campanhoni.

O Amazonik Centro de Inovação irá incubar startups, promover mentoria, tração e aceleração de projetos inovadores. O espaço será ocupado por diferentes agentes da inovação e pode acabar sendo a primeira casa das futuras novas empresas.

O projeto piloto entrar em atividade em junho. Salvadori acredita que em 2 ou 3 anos a sede própria do Centro de Inovação seja inaugurada. Esse centro será a “âncora” de um Parque Tecnológico, que ampliará a estrutura de pesquisa e inovação. Da mesma forma que o Centro de Inovação ancora o Parque Tecnológico, este ancora o Distrito de Inovação. “As tecnologias de inovação nascem no Centro, amadurecem no Parque Tecnológico e se estabelecem no Distrito. Esse é o ciclo que sonhamos, para que o conhecimento e os negócios que nascerem em Sinop permaneçam na cidade, gerando renda, emprego, mas principalmente alimentando e potencializando essa rede de inovação”, argumentou Salvadori.

 

Nome padrão Disney

Uma curiosidade sobre a escolha do nome que batiza esse inovador projeto é que ele já esteve na mão de gênios da inovação. Quando a equipe que trabalhava na formulação do conceito e busca de uma marca chegou ao nome “Amazonik”, tratou de fazer o registro e, para sua surpresa, descobriu que outra empresa já tinha registrado o direito sobre o nome no passado. Essa empresa era ninguém menos que a The Walt Disney Company. Sim! A gigante do audiovisual já tinha reservado para si o nome Amazonik.

A Disney fez a reserva e manteve o registro da marca até 2006, quando acabou desistindo. Grandes indústrias de mídia costumam fazer registros prévios de marcas para eventuais projetos que podem ou não serem desenvolvidos, como forma de garantir os direitos. Provavelmente a Disney pensou em lançar uma produção voltada para o cenário amazônico chamada “Amazonik”. Para a sorte dos empreendedores de Sinop, a gigante desistiu.