Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Sábado 18 de Maio de 2024

Menu

Elevação na receita

Alimentação e hospedagem fazem com que Mato Grosso lidere alta no setor de serviços em 2023

No Brasil, os serviços cresceram 2,3% em 2023 no terceiro ano seguido de expansão do setor

Geral | 15 de Fevereiro de 2024 as 07h 15min
Fonte: Redação

Foto: Divulgação

O setor de serviços em Mato Grosso cresceu 16,4%, o mais alto do país, entre as 25 das 27 unidades da federação que tiveram elevação na receita real de serviços. Também se destacam os estados do Paraná (11,2%), Santa Catarina (8%), Minas Gerais (7,7%), Rio Grande do Sul (4,4%) e Rio de Janeiro (3,3%). As quedas foram anotadas em São Paulo (-1,8%) e Amapá (-2,2%).

No Brasil, os serviços cresceram 2,3% em 2023 no terceiro ano seguido de expansão do setor. Já em relação a dezembro de 2022 os serviços apresentaram recuo de 2,0%, que é o mais intenso desde janeiro de 2021, quando houve queda de 5,0%. Os números fazem parte da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Pela primeira vez, o setor de serviços prestados à família ultrapassou o patamar pré-pandemia em dezembro de 2023. Essa era a única atividade da pesquisa que ainda não havia conseguido esse desempenho. Em dezembro, houve alta de 3,5% e, com isso, os serviços prestados às famílias passaram a ficar no maior nível desde fevereiro de 2016.

“É um setor que veio, pouco a pouco, eliminando as perdas da pandemia. Houve uma mudança na configuração das atividades. Os serviços de aplicativos de entrega, por exemplo, acabaram se apropriando de uma parte das receitas dos restaurantes, havendo, assim, uma transferência de receita entre dois setores do setor de serviços”, exemplifica Lobo.

Apesar da retomada em bom ritmo da atividade turística, que auxilia a melhora do setor de alojamento e alimentação, fundamental para a atividade de serviços prestados às famílias, o retorno ainda gradativo ao trabalho presencial ou híbrido também explica o ritmo mais lento de retomada. “Ainda há um grande contingente de pessoas trabalhando de maneira remota, o que ajuda a transferir receita dos serviços (restaurantes) para o comércio (supermercado), por exemplo”, relatou Lobo.

Em Mato Grosso, o setor de Alimentação e Hospedagem foi responsável por 1.741 novos empregos em 2023.

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Paulo Solmucci, disse que o ano passado ainda foi de recuperação, mas já refletiu em mais empregos e prova que os empresários estão mais confiantes.

“O saldo no ano é muito positivo, com melhora dos índices e mais gente com poder de compra, o que se reflete nos bares e restaurantes. É um dos setores que mais emprega no Brasil e precisa de atenção para não perder esse embalo da retomada. Ainda temos quase um quinto das empresas trabalhando com prejuízo”.