Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 23 de Fevereiro de 2024

Menu

Máfia da cobrança

Agiota que emprestou R$ 10 mil quis tomar casa de R$ 250 mil em Cuiabá

Devedor foi levado por dois cobradores até um cartório, mas a transferência do imóvel não foi realizada

Geral | 21 de Setembro de 2023 as 11h 46min
Fonte: Mídia News

Foto: Assessoria PCMT

Uma das vítimas de um agiota que atua em Cuiabá foi ameaçeada por dois cobradores para que transferisse sua casa, no valor de R$ 250 mil, para o nome do credor, como pagamento de uma dívida de R$ 10 mil.

A informação é do delegado Guilherme Bertoli, da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos, que investiga a ação de cobradores violentos em Cuiabá.

Os dois cobradores, de 45 e 49 anos, foram presos na tarde da última sexta-feira (15), no Bairro Goiabeiras, próximo do local de trabalho da vítima. A investigação deste caso teve início na semana passada. 

Estes dois cobradores não têm relação com a Operação Piraim, deflagrada nesta quarta-feira (20) contra um grupo que açoitou um devedor em plena Avenida Miguel Sutil, na Capital. 

"A vítima havia pegado R$ 10 mil emprestado, já tinha pagado R$ 22 mil, comprado [para o credor] dois televisores de 60 polegadas, e os criminosos ainda o levaram no cartório para assinar um documento, pois queriam a casa dele no valor de R$ 250 mil", disse Bertoli.

Conforme informado pela Polícia Civil, a vítima relatou que o crime aconteceu em junho, quando três homens a colocaram à força em um carro e a levaram a um cartório em Várzea Grande, mas não tiveram sucesso.

Assim, os criminosos continuaram pressionando a vítima e constantemente apareciam em seu trabalho, cobrando o imóvel. As investigações mostram que o grupo tinha um modus operandi que passava por ameaças contra familiares, amigos, para que as vítimas continuassem pagando o valor abusivo.

"Esses criminosos primeiro iniciam uma fase de ameaças, de torturas psicológicas, falam dos filhos: "Ah, você tem uma esposa bonita. Seu filho treina em tal lugar". Então, eles começam a agir dessa forma até chegar na fase mais grave, que é das agressões", contou.

Após a prisão em flagrante, a dupla foi conduzida à Derf para interrogatório e posteriormente foram autuados por extorsão. A identidade e localização do agiota mandante da cobrança, ainda está sendo investigada.