Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Terça Feira 23 de Julho de 2024

Menu

Planejou a morte

Adolescente que matou família diz não se arrepender e admite ter pensado no crime antes de cometê-lo: 'Faria novamente'

Jovem que assassinou a família na sexta-feira relatou ter sido chamado de 'vagabundo' pelos pais um dia antes do crime

Geral | 20 de Maio de 2024 as 23h 42min
Fonte: O Globo

Foto: Reprodução/Redes sociais

O adolescente de 16 anos apreendido após matar o pai, de 57 anos, a mãe, de 50, e a irmã, também de 16, na Zona Oeste de São Paulo, na última sexta-feira, afirmou que não se arrepende do crime e disse que "faria novamente" em depoimento à Polícia Civil. O crime aconteceu dentro da casa em que a família vivia, onde o jovem permaneceu com os corpos até o domingo, quando acionou a Polícia Militar.

Segundo o boletim de ocorrência, o adolescente afirma que cometeu o crime porque estava com raiva dos pais após eles terem confiscado seu celular. Ele ainda conta que sempre teve desentendimentos com os pais, que eram adotivos.

O autor do crime relata que, na noite anterior ao crime, os pais o teriam chamado de "vagabundo" e tirado seu celular, "não podendo utilizá-lo para fazer uma apresentação da escola, com isso planejou a morte dos pais", segundo o Boletim de Ocorrência.

Adolescente de 16 anos que matou pais e irmã em SP ficou com os corpos em casa por três dias — Foto: Reprodução/TV Globo

Adolescente de 16 anos que matou pais e irmã em SP ficou com os corpos em casa por três dias — Foto: Reprodução/TV Globo

Como relatado pelo adolescente, o pai era membro da Guarda Civil de Jundiaí e tinha uma arma em casa. Ele sabia onde ficava escondia e fez um teste quando estava sozinho em casa. O disparo teria acertado no colchão da cama que os pais dormiam.

Na tarde de sexta-feira, ele esperou o pai chegar em casa após buscar a irmã do adolescente na escola. Na cozinha, ele atirou contra o pai quando estava de costas. A irmã ouviu o barulho do disparo, foi até o local e também foi baleada no rosto. No depoimento, ele afirma que "teve que matar a irmã" porque ela estava no local.

O adolescente ainda relata que após matar os dois, almoçou no local e foi para a academia. Ao voltar, esperou a mãe chegar, abriu o portão e a matou quando ela viu os corpos do marido e da filha na casa. No dia seguinte, ele também colocou uma faca no corpo dela. "Ainda estava com raiva dela", justificou à polícia.

A arma usada no crime foi encontrada pelos agentes na mesa da sala e estava municiada. A pistola e a munição foram apreendidas.

Foi o próprio adolescente quem acionou a polícia e confessou o crime na noite deste domingo. Aos policiais, ele relatou que matou os pais com a arma usada no trabalho do pai. Os corpos de Isac Tavares Santos, Solange Aparecida Gomes e Letícia Gomes Santos já estavam em decomposição e tinham marcas de tiros quando a polícia chegou ao local.

Ele foi apreendido por homicídio e feminicídio, e o caso foi registrado no 33º DP (Pirituba) como ato infracional de homicídio e feminicídio; ato infracional de posse ou porte ilegal de arma de fogo e ato infracional de vilipêndio a cadáver. Segundo a Secretária de Segurança Pública, ele foi encaminhado para à Fundação Casa.