Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sábado 20 de Julho de 2024

Menu

Sinop

Acusado de matar esposa vai a júri nesta quinta-feira

Corpo foi encontrado abandonado em uma rodovia em outubro de 2022

Geral | 22 de Maio de 2024 as 17h 18min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Divulgação

Amanhã, quinta-feira (23), a partir das 8h30, no Fórum da Comarca de Sinop, será realizado o júri de Sérgio Ricardo da Silva. Ele é acusado de matar Marlene Aparecida dos Reis e abandonar seu corpo na MT-438, que liga o município de Sinop a Vera. Marlene tinha 42 anos de idade, era corretora de imóveis e tinha duas filhas. A mais nova, com 5 anos de idade na época, era filha de Sérgio.

O crime ocorreu no dia 6 de outubro de 2022. A filha mais velha de Marlene, Renata Mattes (23 anos), procurou a polícia após tomar conhecimento que Sérgio havia deixado sua filha de 5 anos de idade na casa da avó e que aparentava estar bastante alterado. Renata ligou para o padrasto que parecia estar normal. Depois de tentar repetidas vezes contato com a mãe, sem sucesso, a filha procura a delegacia de polícia. Horas depois, o corpo de Marlene é encontrado e a Polícia emite um pedido de prisão preventiva contra Sérgio. No dia 10 de outubro o suspeito se apresenta na Delegacia com sua advogada e é preso na penitenciária do município.

O corpo de Marlene foi encaminhado para necropsia. A perita Daniela Perri informou, na época, que Marlene tinha uma marca de tiro na cabeça, mas que a bala não perfurou o crânio. A análise preliminar da especialista apontava que a causa da morte seria “sufocação direta”, em razão das marcas de estrangulamento que a vítima apresentada no pescoço.

Marlene perdeu os pais quando era muito jovem e acabou sendo amparada por uma família adotiva. Mais velha, criou Renata sozinha, após o abandono do pai. Quando enfim um novo núcleo familiar foi montado, Marlene acaba tendo sua vida ceifada, deixando uma menina de 5 anos sem mãe e com o pai preso.

Sérgio vai responder pelo crime de homicídio qualificado, violência doméstica contra a mulher e feminicídio.

Quem conduz o júri é o juíz da 5ª vara criminal de Sinop, Anderson Clayton Dias Batista.