Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Quinta Feira 16 de Setembro de 2021

Educação

Sintep diz que professores não retornam para escolas e fará nova assembleia para definir greve

Mobilização será no dia 29 de maio

Volta às aulas | 22 de Maio de 2021 as 08h 49min
Fonte: Anderson Hentges/Capital Notícia

Foto: Reprodução

O Sindicato dos Profissionais da Educação de Mato Grosso, o Sintep, decidiu após Assembleia Geral realizada nessa sexta-feira (21/05) que os professores não vão retornar para as salas de aula com aulas presenciais no próximo dia 7 de junho, data divulgada pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

A classe quer a continuidade dos trabalhos remotos com as escolas fechadas e exige a vacinação dos professores. Conforme anunciado pelo governo, assim que terminar a vacinação dos profissionais da segurança, os da educação serão os próximos a serem vacinados.

O presidente do Sindicato, Valdeir Pereira, aponta que a escola não é um ambiente seguro e todos estarão numa possibilidade de contaminação direta pela Covid-19 e também menciona as falas do Secretário de Saúde Gilberto Figueiredo sobre uma nova onda de reinfecção da doença.

“Em razão até mesmo das declarações que estão sendo feitas pelo Secretário de Estado de Saúde que o estado de Mato Grosso está numa preeminência de uma terceira onda da Covid-19”.

Valdeir ainda garantiu que no próximo sábado, dia 29 de maio, haverá uma mobilização da classe. “Dependendo da movimentação e da insistência do governo nós apontamos para a necessidade de uma assembleia geral com a categoria e já indicar uma paralisação que é greve por tempo indeterminado das nossas atividades”, completa.

No dia 5 e 6 de maio haverá uma reunião com o Conselho de Atividades e no dia 7, dia em que as aulas retornam, uma nova Assembleia Geral.

A definição da Seduc diz que do dia 31 de maio a 4 de junho será realizada a semana de acolhimento aos professores e alunos. A partir do dia 7 de junho, as aulas seriam iniciadas de forma híbrida, com revezamento entre os estudantes.