Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Terça Feira 28 de Setembro de 2021

Educação

Merendas sem açúcar: Escolas Municipais de Nova Mutum começam adaptar receitas

O novo guia alimentar apresenta disponibilidade de mais frutas para o ensino fundamental, a retirada do açúcar para as creches municipais e restrição de alimentos ultraprocessados.

Nova Mutum | 01 de Julho de 2021 as 09h 40min
Fonte: Ana Paula Dias/Assessoria

Assessoria

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), através do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), apresentou um novo guia alimentar para atender as demandas da Rede Municipal de Ensino de todo o Brasil. Em Nova Mutum não foi diferente, através da Secretaria de Educação e Cultura (SMEC), a Nutricionista e Responsável Técnica pela merenda escolar, Angelina Curbani esteve representando a rede de ensino em eventos virtuais para atender o novo protocolo exigido.

Segundo a nutricionista, durante o início do ano letivo foi realizada a formação com todas as merendeiras e gestores escolares para adaptação e atualização sobre as principais alterações do novo guia alimentar e a Nova Resolução FNDE/CD 06/20 e qualificação das profissionais merendeiras na área da alimentação escolar.

 

“Durante todo semestre as merendeiras tiveram oportunidade de inovar/testar e colocar em práticas várias receitas desafiadoras como a zero adição de açúcar, bem como implantar as boas práticas na manipulação dos alimentos garantindo a segurança alimentar e nutricional cumprindo com as referências nutricionais de todas as refeições servidas diariamente nas escolas” - destacou Angelina Curbani Garcia, Nutricionista e Responsável Técnica.

O novo guia alimentar apresenta disponibilidade de mais frutas para o ensino fundamental, a retirada do açúcar para as creches municipais e a restrição de alimentos ultraprocessados. “Acompanhando a resolução as escolas estão tendo que adaptar as receitas. A retirada do açúcar já começou e vai contribuir para o desenvolvimento saudável de nossas crianças”, acrescentou a nutricionista.

De acordo com a nutricionista o momento é desafiador, pois a comida é uma das ferramentas para transformar a realidade da insegurança alimentar. “Devemos valorizar e reforçarmos o elo entre práticas culturais e alimentos, saberes e sabores, indissociáveis, dentro de um olhar pedagógico. Acredito que a alimentação saudável e nutricional acrescenta e muito na vida de cada criança”, finaliza.