Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Sábado 18 de Maio de 2024

Menu

Salto de 21,75%

Vendas de bebidas alcoólicas movimentam mais de R$ 523 milhões em MT e índice alerta para excesso

Estado apresentou a 6ª maior variação percentual na venda de bebidas alcoólicas e está acima da média nacional

Economia | 19 de Fevereiro de 2024 as 07h 34min
Fonte: O documento

Foto: Divulgação

A comercialização de bebidas alcoólicas em Mato Grosso teve um salto de 21,75% em 2023 na comparação com o ano anterior, conforme os dados do IPC Maps, empresa especializada em medir potencial de consumo. As famílias mato-grossenses gastaram cerca de R$ 523,5 milhões com bebidas alcoólicas, ante ao consumo de R$ 429,9 milhões em 2022.

Mato Grosso apresentou a 6ª maior variação percentual na venda de bebidas alcoólicas e está acima da média nacional, cujo aumento foi de 18,7%. No topo da lista está Goiás, com aumento nas vendas em 23,6%.

Os consumidores brasileiros gastaram cerca de R$ 33,4 bilhões em bebidas alcoólicas no ano passado e em 2022, as despesas somaram R$ 28,1 bilhões. Só no Estado de São Paulo, mais de R$ 8,8 bilhões foram desembolsados no ano passado, contra R$ 7,4 bilhões em 2022, o que equivale a uma alta de 18,2%.

No Carnaval de 2024 também foi registrada alta nas vendas de bebidas em 5% na comparação com o mesmo período de 2023. O faturamento do setor no país deve atingir R$ 1 bilhão. “Os supermercados estão observando essa mudança no comportamento dos consumidores. Colocando as bebidas prontas para consumo, digo, geladas, assim conseguimos recuperar esses clientes e fidelizá-los para além do carnaval”, afirma Fábio Queiróz, presidente da Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ).

Por outro lado, o alcoolismo é um dos principais problemas de saúde pública no Brasil, a dependência do álcool é uma doença crônica que atinge cerca de 10% da população, em sua maioria, homens entre 18 e 29 anos. Embora faça parte do contexto de vida social para muitas pessoas, seu consumo exagerado traz inúmeras complicações para a saúde, além de pesar no bolso.

 

Cervejas sem álcool

Mas até entre aqueles que optaram em não consumir mais bebidas alcoólicas houve aumento no consumo. A cerveja sem teor alcoólico é considerada um dos mais promissoras do mercado brasileiro. Em 2022, superou a marca de 390 milhões de litros, um crescimento de 37%, em comparação do mesmo período de 2021 (284 milhões/litro). Os dados são da empresa de pesquisa de mercado Euromonitor International para o Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja (SINDICERV).

Em 2023, as vendas aumentaram em 24%, ultrapassando o volume de 480 milhões de litros no Brasil. “No mundo, o segmento movimenta 10 bilhões de dólares, com expectativa de crescer mais um terço nos próximos anos, segundo dados da Worldwide Beer Alliance (WBA). Esse desempenho está relacionado a crescente busca do consumidor por um estilo de vida mais leve, saboroso e equilibrado e os investimentos do setor em inovação e oferta de novos produtos”, explica o presidente executivo do SINDICERV, Marcio Maciel.