Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 23 de Fevereiro de 2024

Menu

Aumento nas vendas

Venda de carros em 2024 deve aumentar 25% em MT com novo Marco das Garantias e ofertas de crédito

Crescimento no estado deve ser acima da média nacional

Economia | 08 de Janeiro de 2024 as 07h 08min
Fonte: O documento

Foto: Divulgação

A Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) projetou aumento em novos emplacamentos de veículos no país em torno de 13,54%, o que significa mais 4,5 milhões de automóveis novos que devem entrar em circulação. Contudo, em Mato Grosso, esse crescimento deve ser acima da média nacional, alcançando até 25% de aumento nas vendas.

O diferencial é o agronegócio com a necessidade de maquinários de veículos de grande porte. Além disso, o Marco das Garantias, que permite a tomada de veículos pelos bancos em caso de atraso no pagamento das parcelas de forma extrajudicial, e a política federal de oferta de crédito faz com que as projeções de vendas no Estado sejam ainda maiores do que a média nacional.

“Estamos prevendo uma possível melhora na oferta do crédito, assim como um ambiente positivo na indústria, que terá mais incentivos para o desenvolvimento de novos produtos, a partir do Programa MOVER, recém- anunciado pelo governo”, disse o presidente da Fenabrave, Andreta Jr.

Conforme Andreta, a venda de caminhões deve aumentar em 10% em 2024 com a melhora do crédito, e a evolução do agronegócio, que mantém o segmento de pesados com 50% de participação deste mercado. Já o segmento de ônibus deve aumentar em 20%.

“Este comportamento se deve a alguns fatores: Programa Caminho da Escola, que terá 16 mil novas unidades este ano; aumento do transporte rodoviário, em função da elevação dos custos das passagens aéreas; e à renovação de frota de ônibus urbanos”, explica.

Em relação a 2023, ele destacou que o setor automotivo demonstrou uma recuperação importante e que deve ser celebrada, tanto que foi a 1ª vez, desde 2019, foram comercializados mais de 2 milhões de automóveis e comerciais leves.

“No entanto, temos que lembrar do impulso das medidas provisórias que estimularam o setor, o que mostra que é necessária a busca de soluções permanentes que mantenham o mercado aquecido, já que se trata de um setor que conta com 7.400 concessionárias, instaladas em mais de 1.000 municípios e que respondem por mais de 300 mil empregos e por 5% de participação no PIB nacional”, analisa.

Além dos estímulos fiscais ao setor, concedidos pelo governo, por meio das Medidas Provisórias 1175 e 1178, em junho de 2023, a melhora do crédito, com início do ciclo de redução da taxa de juros, nos últimos meses do ano, foi fundamental para que a alta de 12% sobre 2022 pudesse ser atingida.