Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 23 de Fevereiro de 2024

Menu

Fim de ano

Preço dos alimentos sobe e pressiona inflação em Sinop

Custo da alimentação e da cesta básica tem alta no penúltimo mês do ano

Economia | 20 de Dezembro de 2023 as 11h 04min
Fonte: Jamerson Miléski

A comida ficou mais cara para o sinopense no mês de novembro. É o que aponta o levantamento realizado pela CDL Sinop, em parceria com o departamento de Economia da Unemat, divulgado nesta quarta-feira (20). A alta no preço dos alimentos foi o principal responsável pela inflação local no último mês.

A inflação local, medida pela CDL/Unemat desde 2013, foi de 0,23% no mês de novembro. No acumulado dos últimos 12 meses, a inflação de Sinop é de 4,19%. A média nacional dos últimos 12 meses é de 4,68% - ambas acima da meta do Banco Central, que era de 3,25% para o ano de 2023.

Embora a inflação geral no mês de novembro tenha sido moderada, o impacto sobre o preço dos alimentos foi maior. Comer fora de casa ou comprar alimentos ficou +0,44% mais caro no último mês em Sinop. Dos 9 grupos de consumo que compõem o índice de inflação, os Alimentos tem o maior peso, respondendo por 24% - e também foram o com maior alta. Transportes, o segundo grupo com mais peso no índice, também subiu acima da média: +0,38%, Despesas pessoais +0,27% e Saúde +0,26% subiram acima da média.

O que puxou a inflação para baixo foram as despesas com comunicação -0,38% e vestuário -0,37%.

O impacto no custo dos alimentos também pode ser medido pela alta na cesta básica: formada por 13 produtos em quantidades suficientes para manter um adulto nutrido por 30 dias. Em novembro o preço médio da Cesta Básica em Sinop foi de R$ 709,42.

Em setembro a cesta básica local atingiu seu menor patamar do ano, custando R$ 696,37. Nesses dois meses, os alimentos básicos ficaram 1,87% mais caros – uma diferença superior a R$ 13,00.

Os produtos da cesta básica que mais subiram em novembro foram: batata +8,56%, arroz +5,53% e as carnes +2,96%.