Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Domingo 03 de Março de 2024

Menu

Impostômetro

Mato Grosso recolhe R$ 40 bi em tributos

Valor se aproxima do total arrecadado no ano passado

Economia | 27 de Novembro de 2023 as 15h 30min
Fonte: Assessoria Fecomércio-MT

Foto: Assessoria Fecomércio-MT

O Impostômetro da Fecomércio-MT atingiu, na manhã desta segunda-feira (27), a marca de R$ 40 bilhões em arrecadação de impostos, taxa, multas e contribuições federais, estaduais e municipais. O valor atual está 5,38% superior ao apurado no mesmo período do ano passado e já se aproxima do montante recolhido em todo o ano de 2022, que somou R$ 42,2 bilhões.

O presidente da Fecomércio-MT, José Wenceslau de Souza Júnior, explica o aumento da arrecadação no estado, influenciado, principalmente, pela inflação no país. “Diante do processo inflacionário, há a tendência de uma maior velocidade na arrecadação de impostos, porém com uma maior movimentação do consumo e uma economia mais aquecida como a de Mato Grosso, essa velocidade pode ser ainda maior”, aponta.

Com isso, é esperado que o valor total arrecadado no ano passado seja alcançado com 18 dias de antecedência neste ano. Consequentemente, o montante recolhido dos mato-grossenses para os cofres públicos deve atingir, até o fim de 2023, certa de R$ 44,7 bilhões.

A capital do estado já contribuiu com R$ 831 milhões desde o início do ano até o momento, com previsão de concluir o ano recolhendo, aproximadamente, R$ 927 milhões. Entre os impostos que mais contribuíram para a arrecadação deste ano, estão o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto de Renda (IR) e os impostos de Previdência.

Wenceslau Júnior expõe que “cidades ligadas ao agronegócio, como Sinop e Sorriso, mostram arrecadação de R$ 168 milhões e R$ 91 milhões, respectivamente, sendo uma arrecadação próxima do averiguado em cidades próximas a capital. Estes dois municípios, mesmo que com uma população menor, o que tende a impulsionar o aumento na arrecadação de impostos sobre consumo e renda, possuem valores significativos, reforçando a importância da região norte no nosso estado”, destaca.

No Brasil, a arrecadação chegou a R$ 2,7 trilhões, patamar alcançado em 2022 no dia 10 de dezembro. Além de divulgar o valor pago em tributos pela população mato-grossense, o Impostômetro da Fecomércio-MT também traz informações sobre questões tributárias do estado e do país.

O Sistema S do Comércio, composto pela Fecomércio, Sesc, Senac e IPF em Mato Grosso, é presidido por José Wenceslau de Souza Júnior. A entidade é filiada à Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que está sob o comando de José Roberto Tadros.