Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 01 de Março de 2024

Menu

Economia

Inflação em Sinop chega próximo de zero

Recuo nos preços dos alimentos e do transporte deixam a inflação de junho em 0,04%

Economia | 27 de Julho de 2023 as 18h 45min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Divulgação

Os preços começam a voltar para sua normalidade. É o que aponta o relatório do departamento de Economia da Unemat em parceria com a CDL Sinop, divulgados nesta quinta-feira (27). De acordo com o levantamento, a inflação local registrada no mês de junho foi de +0,04%, um incremento mínimo com relação ao mês anterior. No mesmo mês, a inflação média no país foi negativa: -0,08%.

Com a acomodação a inflação de Sinop nos últimos 12 meses é de 4,01% - muito próximo da meta estabelecida pelo Banco Central, que é de 3,25%. Já no panorama nacional, a meta foi alcançada. A inflação média no Brasil nos últimos 12 meses foi de 3,16%.

Em Sinop o que manteve a inflação estável em junho foi a queda no preço dos alimentos – que representam 24% do orçamento familiar. Neste grupo, de forma geral, a queda foi de -0,28%. As despesas de Transporte, o segundo grupo mais pesado na cesta de consumo, também tiveram deflação: -0,38%. Comunicação (-0,20%) e Artigos para Residência (-0,28%), também tiveram queda.

A alta foi concentrada pelas despesas com Habitação, que subiram +0,70% e com saúde +0,42%.

O departamento monitora a inflação local desde 2013.

O básico mais básico

Outro indicador monitorado pelo departamento de Economia da Unemat é a cesta básica – um conjunto de 13 alimentos em quantidades suficientes para manter um humano adulto nutrido por um mês. Essa “ração humana” teve um custo médio de R$ 742,75 em Sinop no mês de junho – menor do ano.

O valor é -1,66% mais barato que no mês anterior, maio, quando os mesmos produtos custavam R$ 755,32. O que puxou a queda foram carne, feijão e óleo de soja que ficaram mais baratos nesse mês.

Apesar da queda, a cesta de Sinop continua sendo a segunda mais cara em comparação com as capitais acompanhadas – ficando atrás apenas de São Paulo, com um custo médio de R$ 783,05. Em Brasília a cesta básica custou em junho R$ 687,33 e em Campo Grande (MS) R$ 730,19.