Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Quarta Feira 18 de Maio de 2022

Menu

Economia

Inflação de Sinop é a maior dos últimos 12 meses

Preço dos alimentos dispara e pressiona a inflação local

Escalada dos preços | 27 de Abril de 2022 as 18h 48min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Divulgação

Em março, o custo de vida do sinopense teve o maior aumento dos últimos 12 meses. É o que aponta o levantamento realizado pelo departamento de Economia da Unemat em parceria com a CDL Sinop. O estudo, que monitora a variação dos preços aos consumidores desde 2013, indicou uma inflação de 1,27% no último mês. Até então, a maior alta nos últimos 12 meses havia sido em dezembro, com 1,24%. Com exceção de janeiro – quando a inflação local foi de 0,74% - nos últimos 6 meses a inflação de Sinop ficou acima do 1%.

Conforme o levantamento, no acumulado dos últimos 12 meses, a inflação de Sinop é de 10,29%. Isso significa que em um ano o salário mínimo perdeu o poder de compra de R$ 124,71. Apesar de ser uma inflação considerada alta, ainda está abaixo da média nacional, cujo aumento é de 11,30% no acumulado dos últimos 12 meses.

Para medir o aumento dos preços, o departamento de Economia avalia a variação média de produtos e serviços em 9 categorias de consumo. Nesse mês de março, dos 9 grupos, 8 tiveram aumento. A exceção foi o grupo Comunicação, com queda de -0,32%.

E o maior impacto no aumento foi justamente no grupo mais importante da cesta de consumo, a Alimentação, que consume quase 25% da renda do sinopense pelas regras da amostragem. O preço dos itens de alimentação registraram uma alta de 2,19% no mês de março. Também tiveram aumentos expressivos o grupo Transporte (+1,67%), Habitação (+1,30%) e Vestuário (+1,23%).

Cesta básica

A pressão sobre o preço dos alimentos fica mais evidente no monitoramento da Cesta Básica – que também é acompanhada pelo departamento de Economia da Unemat. Em março, a cesta básica chegou a R$ 699,12 – um aumento de 6,27% em comparação com o mês anterior. Dos 13 itens que compõem a cesta básica padrão (suficiente para alimentar um adulto por um mês), apenas a banana teve queda no preço (-4,65%). Os demais itens subiram de preço, com destaque para o tomate que ficou 14,% mais caro, batata (13,8%) e feijão (7,5%).

Há um ano os mesmos alimentos em suas respectivas quantidades poderiam ser comprados em Sinop por R$ 617,47 – na média. Um ano depois e preciso desembolsar R$ 81,65 a mais para comprar as mesmas coisas. Isso representa uma inflação de 13,22%.