Boa tarde, Quinta Feira 24 de Junho de 2021

Economia

Custo de vida em Sinop sobe sem trégua há 11 meses

No período, inflação local é de 7,6%

Inflação | 20 de Maio de 2021 as 12h 22min
Fonte: Jamerson Miléski

Há última vez que o custo de vida parou de subir em Sinop foi em maio de 2020. É o que aponta a série histórica do monitoramento da inflação local feito pelo departamento de Economia da Unemat, em parceria com a CDL Sinop. Nos últimos 11 meses a inflação dos preços ao consumidor no município foi de 7,6%. A alta não teve intervalos.

A inflação local é medida através da variação dos preços na chamada “Cesta de Consumo”, formada por itens de Alimentação, Transporte, Habitação, Saúde, Despesas Pessoais, Vestuário, Comunicação, Artigos para Residência e Educação. Se na soma geral, o gasto para comprar esses mesmo itens é maior do que no mês anterior, significa que houve inflação.

A maior inflação nesses últimos meses foi em dezembro de 2020, quando a alta nos preços foi de 1,33%. A menor foi justamente em maio de 2020, quando a inflação foi de 0,21%. Patamar muito similar a última medição feita pelo departamento, referente a abril de 2021. No mês passado, a inflação de Sinop foi de 0,23%.

O que mais subiu no último mês foram os gastos com saúde (+0,72%), seguido de Artigos para Residência (+0,42%), e Alimentação (+0,38%). O impacto na inflação geral só não foi maior porque os grupos que tiveram a maior alta tem menor participação na cesta de consumo. Alimentação, por exemplo, corresponde por 24% das despesas de uma pessoa, enquanto os gastos com saúde, que dispararam, compõem apenas 5%.

Contando a última deflação, que foi em abril de 2020 (-0,22%), a inflação acumulada nos últimos 12 meses em Sinop é de 7,38%. Em maio de 2020, a inflação acumulada desde abril de 2019 era de 2,6%. Ou seja, uma inflação quase 3 vezes maior.

 

Comida cada vez mais cara

O departamento de Economia da Unemat também monitora o custo da Cesta Básica: são 13 itens alimentícios em quantidades suficientes para manter um humano adulto nutrido pelo período de um mês. Essa lista tem carne, leite, feijão, arroz, farinha, batata, tomate, pão, café, banana, açúcar, óleo e manteiga.

O custo médio de uma cesta básica em Sinop em abril de 2020 era R$ 499,65 – resultado de uma alta nos preços por 4 meses consecutivos. Em abril de 2021, o custo médio da mesma cesta é R$ 617,47 – uma alta de 23,5% em um ano.

Na prática, para manter o mínimo do mínimo, o sinopense está gastando agora R$ 118,00 a mais do que no ano passado. Para viver apenas de cesta básica – e ficar dentro do que se estima, de gastar apenas 24% do seu salário com alimentação – o sinopense precisa ter hoje um salário de R$ 2.572,00.