Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Sábado 13 de Julho de 2024

Menu

Vendas irregulares

Brasil tem 25% de celulares contrabandeados; país perde bilhões em impostos

Abinee calcula que cerca de 10 mil trabalhadores podem perder seus empregos por causa da atividade irregular

Economia | 26 de Março de 2024 as 13h 27min
Fonte: Henrique Santiago - UOL

Foto: Camilo Jimenez/unsplash

Um em cada quatro celulares (25%) vendidos no país é irregular, segundo a Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica). A entrada de aparelhos contrabandeados no Brasil foi responsável pela perda de R$ 4 bilhões em arrecadação de impostos federais em 2023, e o crescimento expressivo da atividade irregular preocupa o setor.

 

O problema vem do Paraguai

A Abinee, que representa marcas como Apple, Samsung e Motorola, divulgou nesta terça-feira (26) que 6,2 milhões de aparelhos entraram no país de maneira ilegal no ano passado. Os números foram levantados pela empresa de inteligência de mercado IDC.

Os celulares são vendidos, geralmente, em grandes marketplaces (plataformas de comércio eletrônico). No passado, a comercialização de aparelhos contrabandeados era feita somente nos grandes sites, mas, nos últimos meses, plataformas menores também passaram a vender os celulares, de acordo com os porta-vozes.

Em 2022, a participação do chamado "mercado cinza" era de 10%. O presidente-executivo da Abinee, Humberto Barbato, atribuiu o crescimento expressivo ano a ano às mudanças de hábito de consumo, além de reforçar a presença de anúncios em sites de venda. Smartphones de marcas chinesas como Xiaomi, Realme e Oppo são vendidos por valores de R$ 1.000 a R$ 1.300.

Os celulares são contrabandeados sobretudo a partir do Paraguai. Barbato afirma que o número de 6,2 milhões seria ainda maior se não fossem as operações de fiscalização e apreensão coordenadas pela polícia. A Abinee defende que apenas uma fiscalização efetiva dos marketplaces diminuirá a prática irregular.

Nós temos uma grande mudança [no comportamento do consumidor] pela comodidade e facilidade de comprar em casa. E os marketplaces atuam como se fossem shopping centers que permitem colocar à venda o que quiserem. Não se pode permitir que algo ilegal seja colocado à venda porque está acobertado pelo marketplace. Humberto Barbato, presidente-executivo da Abinee, em coletiva de imprensa virtual

 

Perda de impostos federais

A evasão fiscal deve aumentar ao passo que o mercado irregular cresce em todo o país. A associação mantém as estimativas de perdas de R$ 4 bilhões em impostos para 2024. O montante que deixou de ser recolhido no ano passado inclui o PIS-Cofins, Imposto de Importação e Imposto sobre Produtos Industrializados, o IPI.

A Abinee identifica um celular contrabandeado quando o anúncio do aparelho informa se tratar de uma "versão global".A descrição traz detalhes do padrão de carregador e certificação não condizentes com aqueles certificados pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), segundo o diretor de Dispositivos Móveis de Comunicação, Luiz Claudio Carneiro.