Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Sexta Feira 01 de Março de 2024

Menu

Inflação local

Alimentos continuam em queda, mas custo com transporte sobe em Sinop

Depois de 3 meses consecutivos de redução, inflação local tem leve alta

Economia | 26 de Outubro de 2023 as 15h 23min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Divulgação

A queda nos preços, que vem sendo registrada em Sinop desde maio, rompeu a sequência no mês de setembro. É o que aponta o departamento de Economia da Unemat, em parceria com a CDL Sinop, que desde o ano de 2013 monitoram a inflação local.

No relatório publicado nesta quarta-feira (25), o departamento apontou uma inflação de 0,18% no mês de setembro. Em agosto, foi registrada inflação negativa, ou deflação, de -0,07%. A movimentação dos preços ao consumidor é medida com base em uma cesta de consumo, formada por 9 grupos, com pesos diferentes no orçamento mensal.

O grupo com maior peso, responsável por 24% da cesta de consumo é Alimentação. Conforme o departamento, alimentos e bebidas, tanto no supermercado como em bares e restaurantes, ficaram mais baratos em setembro, com uma queda de -0,53%. Apesar da retração no grupo “mais pesado”, a inflação foi positiva e a explicação está nas despesas com Transporte.

Segundo grupo com maior peso na cesta de consumo dos sinopenses, o Transporte teve um alta aguda, de +1,28% no último mês. Nesse grupo estão todas as despesas relacionadas à locomoção. O departamento de economia também registrou avanço nas despesas com Educação (+0,64%) e Habitação (+0,33%). Em contrapartida houve queda em Artigos para Residência (-0,47%), Despesas pessoais (-0,31%) e Comunicação (-0,21%).

No acumulado dos últimos 12 meses a inflação de Sinop é de 5,11%. Isso significa que R$ 1 mil recebidos em setembro de 2022 hoje tem um poder de compra de R$ 948,90. A inflação nacional nos últimos 12 meses é de 5,19%, levemente mais alta que a de Sinop.

O básico mais barato

A queda no preço dos alimentos, que vem sendo registrada desde o mês de maio, é mais facilmente percebida no monitoramento dos preços da Cesta Básica – também conduzido pelo Departamento de Economia da Unemat. Conforme a medição, os 13 itens alimentares básicos, em quantidades necessárias para manter um humano adulto nutrido por 30 dias, ficou levemente mais barata no mês de setembro.

A redução média registrada foi de -2,29%. O preço médio da cesta básica em setembro foi de R$ 696,37 – o menor do ano. Em janeiro os mesmo itens custavam R$ 769,16, ou seja, quase R$ 73,00 mais caro. Em maio, no começo da sequência de redução, a Cesta custava R$ 755,32. Na comparação entre agosto e setembro, a cesta básica em Sinop ficou R$ 16,31 mais barata.

No mês de setembro os itens da cesta básica com maior queda foram batata, feijão e carne. Ficaram mais caros Arroz, tomate e café.