Bom dia, Terça Feira 19 de Novembro de 2019

Política

Senado está pronto para votar empréstimo de US$ 250 milhões, afirma Wellington

Governador Mauro Mendes aposta no empréstimo para repactuar as dívidas

Fiado | 14 de Agosto de 2019 as 09h 26min
Fonte: Assessoria

Foto: Assessoria

O senador Wellington Fagundes garantiu, nesta terça-feira, 14, que o Senado está pronto para aprovar uma autorização de empréstimo 250 milhões de dólares do Banco Mundial para repactuar dívidas do Governo do Estado junto ao Bank of America.

A confirmação foi dada durante reunião encabeçada por ele junto à Secretaria do Tesouro Nacional (STN), e que contou com a participação do líder da bancada, deputado Neri Geller (PP), e o governador do Estado, Mauro Mendes.

“O Banco Mundial já aprovou o empréstimo, e caso aprovado junto à União, ele vai ao Senado para ser votado e certamente nos mobilizaremos pela aprovação. Com isso, Mato Grosso passará a receber um prazo estendido, de quatro para 20 anos para quitar suas dívidas, e uma redução de 1,5% na taxa de juros. Isso significa mais recursos em caixa para executar as políticas públicas de desenvolvimento, com sustentabilidade fiscal e ambiental”, assegurou Fagundes.

O empréstimo apoiará o estado em dois pilares: na recuperação da sustentabilidade fiscal e no aumento da capacidade institucional para fazer avançar a agricultura sustentável, a conservação florestal e a mitigação das mudanças climáticas.

“Essa foi uma agenda importante para Mato Grosso, mais um capítulo para nós conseguirmos efetivar a nossa repactuação. Agradeço muito aos técnicos do tesouro que estão tendo uma atitude muito diligente com o Estado de Mato Grosso atendendo aqui a nossa bancada federal e o senador Wellington Fagundes. Ainda temos outras etapas para serem vencidas”, destacou o governador Mauro Mendes.

O secretário Mansueto Almeida afirmou que a STN analisará o caso com otimismo, visto que a secretaria tem enxergado com “bons olhos” a gestão fiscal do Estado. Já o líder da Bancada Federal, Neri Geller, destacou que “o Estado de Mato Grosso tem feito os enfrentamentos que são necessários e essa matéria é exatamente nessa linha, de reduzir a taxa de juro de uma dívida que acaba por penalizar Mato Grosso, para que possamos tirar o Estado desse atoleiro”.

COMENTARIOS