Bom dia, Quinta Feira 19 de Setembro de 2019

Polícia

Mulher e ex-marido são presos suspeitos pela morte de jovem em Sorriso

O crime ocorreu no dia 22 de março deste ano

Investigação | 20 de Agosto de 2019 as 08h 58min
Fonte: Portal Sorriso

A Polícia Judiciária Civil (PJC) de Sorriso cumpriu, na manhã desta terça-feira (20), dois mandados de prisão temporária em desfavor de Thaynara Carolyne Delneiro de Moraes, 21 anos, e Sidnei Vicente Verginio, 26 anos. Ambos são suspeitos pela morte do jovem Mário Felipe Guaberto Abreu, de 28 anos, assassinado a tiros na frente de casa, quando chegava do trabalho, no bairro Jardim América, em Sorriso.

O crime ocorreu no dia 22 de março deste ano. O delegado Nilson Farias, responsável pelas investigações, informou que a operação denominada “A Verdade é Forte” aponta que a morte tem motivação passional.

Thaynara era casada com Mário Felipe e teria sido partícipe no crime. O ex-marido dela, Sidnei Verginio, segundo apontam as investigações, teria planejado e executado o assassinato da vítima. Uma amiga da viúva foi conduzida coercitivamente para prestar esclarecimentos

Segundo o delegado, foi necessária a adoção de diversas técnicas pela equipe da Divisão de Homicídio, uma vez que a viúva foi uma das pessoas que tentou prejudicar as investigações. “A esposa, por diversas vezes, tentou ludibriar as investigações e imputar a outras pessoas, inclusive pedindo para terceiros fazerem denúncias anônimas para desfocar as investigações”.

Nilson Farias informa que no decorrer de cinco meses algumas testemunhas propiciaram elementos cruciais de provas que dão indícios de envolvimento da ex-mulher da vítima. A suspeita é que Thaynara, mesmo casada, continuava se relacionando com o ex-marido.

Além disso, segundo o delegado, com a morte do jovem, a viúva seria beneficiada com o recebimento de um seguro e com bens patrimoniais. “Isso pode ter sido um possível motivo da questão do homicídio. O ex da Thayanara [Sidnei] teria dado prazo de 24 horas para que Mário deixasse a esposa”.

Mário foi assassinado a tiros quando chegava em sua casa, na rua Caracas, no bairro Jardim América, assim que chegou. Ele foi morto ao lado da esposa, mas ela não foi alvejada.

Segundo o delegado, a viúva e ex-marido dela negam o crime. Durante os 30 dias, prazo de vigência da prisão temporária, a Polícia Civil deve concluir o inquérito que será encaminhado ao Ministério Público e ao Poder Judiciário.

COMENTARIOS