Boa tarde, Quarta Feira 13 de Novembro de 2019

Esporte

Superação e sucesso nas piscinas: O paratleta sinopense conquistou o 1 lugar na paralimpíadas universitárias

Adriano Luiz foi campeão nos 100 metros borboleta

Paratleta | 29 de Julho de 2019 as 18h 29min
Fonte: Geovanna Klaus

Foto: Divulgação

A história de Adriano Luiz dos Santos Bonkewich, de 33 anos, já foi contada aqui no GC Notícias, mas hoje (29), o site traz a notícia de que pela primeira vez, Adriano esteve representando Sinop e Mato Grosso na Paralimpíada Universitária 2019.

O paratleta vem se destacando nas competições, a última que Adriano participou foi em São Paulo. A prova aconteceu nos dias 24, 25, 26 e 27 de julho, em São Paulo-SP.  Adriano foi campeão nos 100 metros borboleta, conseguiu bronze nos 100 metros costas e 5º lugar nos 50 metros livre.

O Comitê Paralímpico Brasileiro presenteou os que ficou em 1 lugar à 3 lugar um passeio no Zoológico de São Paulo e Parque dos Dinossauros.

Apesar de todas as vitórias já conquistadas, Adriano sente dificuldade em encontrar ajuda para manter os treinos em dias. Atualmente várias empresas patrocinam o paratleta, entra elas estão Cimobras, Romavil Pneus, Kaminhanski Estruturas, Sorpan, Auto Escola Celeste, Faculdade Fasipe, Palácio dos Esportes, Lifan Motores, Catatau Veículos e Sindusmad.

Além disso Adriano precisa trabalhar para conseguir manter o sonho. “Eu sou zelador no município, trabalho no transporte escolar e quando eu voltar da viaje vou precisar trabalhar 10 dias seguidos, ficar sem treinar pilates, natação.” Explicou Adriano. Segundo ele, ficar todo esse sem treinamento causa perda de rendimento, o que prejudica qualquer atleta.  

O paratleta continua na luta, treinando para a próxima pré-seleção em 2020, que garante uma vaga para uma competição internacional em Tóquio. “Valeu a pena todo o treinamento, todos os anos de luta”, conta emocionado.  

Adriano tem uma história de superação dentro de fora d’água. Aos 14 anos, ele sofreu um acidente de trabalho envolvendo uma serra circular, na qual ele perdeu a mão esquerda. O acidente aconteceu em Sinop, quando ele trabalhava em uma madeireira. Apesar das dificuldades, ele encarou a deficiência e hoje é um paratleta.

Adriano conta que aprendeu a lidar com os desafios, ele era canhoto e teve que reaprender a escrever e fazer as demais atividades com a mão direita. A história dele é uma grande inspiração para muitos.

COMENTARIOS