Boa noite, Domingo 20 de Setembro de 2020

Educação

Pais dizem que filhos seguirão em casa quando as escolas reabrirem

Em Sinop, 10 mil chips com internet serão distribuídos para alunos sem acesso

Prevenção | 18 de Agosto de 2020 as 15h 24min
Fonte: Geovanna Klaus

Com a programação de volta às aulas nas escolas Municipais de Sinop, muitos pais e mães começaram a pensar se vão levar os filhos à escola quando as aulas presenciais forem retomadas ou se deixarão para reiniciar o ano letivo mais para frente. Uma enquete realizada nas redes sociais do GC Notícias mostra que a maioria dos responsáveis pelas crianças, não pretendem retomar a rotina escolar tão cedo.

O resultado mostrou que 73% das pessoas ouvidas não irão levar os estudantes para a escola, em setembro. Já 27% delas planejam levar os filhos às aulas.

“Minhas filhas não vão de jeito nenhum, só voltará para a escola ano que vem”, disse uma internauta.

Repetir de ano nunca foi algo desejável. Porém, em uma pandemia em que as aulas estão sendo ministradas de modo online, alguns alunos da rede pública têm decidido reprovar de propósito para 'aprender de verdade' em 2021.

Segundo a secretária de Educação de Sinop, Veridiana Paganotti, as aulas presenciais estão previstas para ocorrer gradativamente a partir do dia 8 de setembro após o município registrar uma redução no número de casos da Covid-19.

Mesmo com o retorno das aulas, os pais poderão optar por deixar seus filhos estudarem de forma online, através do site educasinop.com.br.

Os alunos da rede municipal estão estudando através da internet, desde o dia 4 de maio. A novidade é que os estudantes do primeiro ao sexto ano, que não tiverem acesso à internet, poderão ter chip de celular com dados móveis, para que possam estudar.

“Nós fizemos umas cotações de valores de internet e conseguimos baratear bem o custo de um chip de internet para cada aluno do ensino fundamental, que é do primeiro ao sexto ano. Então a gente vai garantir o acesso, entregando o chip aquele pai que necessita”, disse Veridiana, em entrevista a rádio FM93.

Ainda segundo a secretária, 10 mil chips foram adquiridos para que os alunos não fiquem sem assistir as aulas. A entrega dos chips será feita no início de setembro aos pais dos alunos matriculados, que apresentarem necessidade.