Boa noite, Quinta Feira 19 de Setembro de 2019

Economia

Custo da alimentação em Sinop dispara no mês de abril

Alta pressionou a inflação e Cesta Básica ficou 10% mais cara

Inflação | 21 de Maio de 2019 as 11h 43min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: GC Notícias

Comer e beber, em casa ou fora dela, ficou mais caro no mês de abril para quem vive em Sinop. É o que mostra o levantamento realizado pelo departamento de Economia da Unemat, em parceria com a CDL Sinop. Essas entidades monitoram os preços ao consumidor local desde 2013.

Os dados referentes a abril foram apresentados na manhã desta terça-feira (21). De acordo com o levantamento, a inflação local no mês passado foi de +0,53% - acumulando uma alta de 1,51% em 2019 e de 4,20% nos últimos 12 meses. “A inflação de Sinop no acumulado de 12 meses atingiu o que o Banco Central tem estipulado como meta para o ano. Se fosse uma questão apenas local, resultado de variações sazonais, não haveria motivo para se preocupar. Como é algo que tem se repetido no cenário nacional, acende um alerta”, declarou o economista da Unemat, Lindomar Pegorini.

A inflação em Sinop é medida a partir de 9 grupos de consumo, com diferentes “pesos” no orçamento doméstico. O grupo que reúne alimentos e bebidas corresponde a 24% do orçamento familiar. Esse grupo teve uma alta de preços +0,71% no mês de abril. O grupo Transportes subiu +0,85% e a Saúde +0,86%. Habitação (+0,24%) e Artigos Para Residência (+0,10%), também inflacionaram.

Dos 9 grupos, 5 tiveram alta nos preços. Se não fosse a queda nos preços em outros grupos de consumo, a inflação local teria sido de 2,76% - praticamente um ano de inflação no Chile.

O que reduziu o impacto da inflação foi a queda em outros grupos. Vestuário teve queda de -0,80% e Educação -0,72%. Comunicação (-0,63%) e Despesas Pessoais (-0,08%), também tiveram queda.

Segundo Lindomar, alguns itens acabaram pesando mais na alta dos alimentos. O tomate subiu 24,4% e acabou pressionando também a Cesta Básica. O feijão subiu 5%. “A política de preços dos combustíveis também acabou resultando em alta, o que explica o aumento no custo do Grupo Transportes”, complementou.

 

Cesta básica

O departamento de economia também monitora os preços médios da Cesta Básica em Sinop. A cesta reúne 13 itens de consumo em quantidades suficientes para manter um humano adulto nutrido por 30 dias.

No mês de abril, a Cesta Básica em Sinop custou em média R$ 482,26 – uma alta de 10,2% com relação ao mês anterior. O tomate foi o grande responsável pela alta, mas também subiram manteiga (+4,9%) e carne (+4,3%).

O impacto da alta na Cesta Básica é maior se observar a alta progressiva. Em janeiro, esses mesmos itens custavam para o consumidor de Sinop em média R$ 419,16. No mês passado o sinopense teve que desembolsar R$ 63,10 a mais para comprar uma cesta básica. Para que o cidadão não tivesse perdas no seu orçamento, de janeiro para cá, ele teria que ter um aumento de salário de 15%.

COMENTARIOS