Bom dia, Sexta Feira 27 de Novembro de 2020

Economia

Alimentos comandam alta da inflação em Sinop

Comidas e bebidas ficaram 1,87% mais caros em setembro e cesta básica chegou a R$ 529,00

Economia | 27 de Outubro de 2020 as 12h 04min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Divulgação

A inflação voltou a subir de forma moderada no mês de setembro. É o que demonstra o relatório apresentado pelo departamento de Economia da Unemat em parceria com a CDL Sinop – que monitora mensalmente os indicadores econômicos na cidade.

No mês de setembro, a inflação local foi de 0,62%, um pouco abaixo do mês anterior, quando a alta geral foi de 0,82%. No acumulado do ano a inflação em Sinop é de 2,38% e nos últimos 12 meses, 3,63%. A inflação nacional no mesmo período foi de 3,14%.

O índice de preços ao consumidor local é medido avaliando a variação de mais de 250 itens de consumo divididos em 9 grupos. Seguindo um comportamento observado ao longo de todo 2020, o grupo Alimentação e bebidas, foi o que teve a maior alta em setembro, pressionando a inflação geral. Esse grupo teve uma alta de 1,87% no último mês. O grupo Artigos para Residência também teve uma alta considerável 0,97%. Todos os demais grupos tiveram elevação no preço médio, com exceção de saúde, com queda de 0,40%.

Confira os indicadores:

Cesta básica

A alta no preço dos alimentos impactou de forma mais aguda os itens primários, que integram a cesta básica. Em setembro, o preço médio da Cesta Básica em Sinop subiu 2,84%, chegando a R$ 529,34. Arroz e óleo de soja foram os itens que mais subiram: 26,3% e 25,9%, respectivamente.

A cesta básica monitorada pelo departamento de economia da Unemat conta com 13 itens em quantidades suficientes para manter um humano adulto alimentado por 30 dias. Ela serve de parâmetro de “alimentação mínima”, um equivalente a uma ração humana.

Em Curitiba, o preço médio dessa cesta básica em setembro foi de R$ 524,25, em Campo Grande R$ 492,80 e em Brasília R$ 445,76.

Confira o histórico dos últimos meses: